“Pode ser que existam casamentos bons. Mas casamentos divertidos, não.”


Saudade do tempo em que as pessoas debatiam com verve, com paixão os assuntos trazidos aqui.
Para tentar reacender a chama, trago uma frase de Rochefoucauld, o genial autor de máximas francês do século 17. Não sei se concordo com essa frase, mas ela me fez pensar.
“Pode ser que existam casamentos bons. Mas casamentos divertidos, não.”

17 Respostas to ““Pode ser que existam casamentos bons. Mas casamentos divertidos, não.””

  1. Alice Barros Says:

    Concordo totalmente! Como pode ser divertido tentar construir uma vida só com duas pessoas cheias de diferenças?
    Existem conjuges que sabem adminsitrar bem essas diferenças. Isso é o que faz o bom casamento.

  2. Evaldo Maciel Says:

    Para ajudar a “reacender a chama” tentar comentar, e não ser apenas mais um leitor, o que na verdade é o que sou.
    “Pode ser que existam casamentos bons. Mas casamentos divertidos, não.”
    Será? Ainda não passei por um casamento. Passei por uma união, não foi divertido e muito mesmo “bom”. Mas acredito que possa existir um casamento divertido, isso vai depender muito do casal. Talvez não seja eternamente divertido, mas por um bom tempo pode ser.

  3. Gueixa Says:

    Ah Fabio, a que diversão vc se refere? rsrsr

  4. Anarcoplayba Says:

    Quem disse isso nunca foi padrinho de casamento de um japonês, vestiu kimono de gala preparado por três senhorinhas japonesas e terminou a noite dançando de sandálias com uma garrafa de sakê na mão.

    Quer dizer, o autor da frase tava falando da festa, né?

  5. Nina Taboada Says:

    Pode ser bom e divertido. Porque não? Toda relação (de comum acordo, não as forçadas) podem ser divertidas. Entendo como diversão a capacidade de se entreter. De rir. De se distrair.
    Um casamento sem distração é um casamento meio morto.

  6. Nina Taboada Says:

    Opa, era da festa? aehhehae

    Quem disse isso nunca ficou até o final da festa, com garrafa de champagne na mão (sem taça), vendo as luzes serem acesas e os noivos recolhendo seus pertences para ir embora.

    E eram apenas 6 da manhã.

    Bisurdo.

  7. Gueixa Says:

    Então e pode até ter Kibe , receita do Marcos passada pra Nina, fritos na hora….Ah Fabito, casamentos podem ser muito divertidos , sim senhor!

  8. E. Says:

    Stricto sensu – a festa pode ser a melhor parte do casamento.
    Lato sensu – Nunca vi nem ouvi falar de casamento divertido depois do 1º ano, depois de filhos então…..

    diversão e casamento são palavras dissociadas.

    e atire o primeiro buquê quem conhece um…

  9. Nina Taboada Says:

    *atirando o buquê

    O problema é que a maioria acaba casando por falta de opção, por pressão alheia, por conveniência ou por paixonite aguda.

    Sem rever valores próprios, sai cobrando valores dos outros.

    E aí começam os problemas. O casamento desafina. Não há harmonia… há resmungos, cobrançcas… “então vamos ter filhos” … nesse clima, filhos só pioram..

    Se um casamento vai ser ou não divertido, dependerá de como você se relaciona com ele. E de quão maduro você é. E claro, do que significa diversão para vc.

    Eu me comprometo a fazer de tudo para que meu relacionamento continue tendo a porção de divertimento presente atualmente. E que os anos não atrapalhem isso.. pelo contrário, só melhore.
    Amém!

  10. Gueixa Says:

    Opa! Peguei! O buquê! aí Nina….Definir o que seja divertido é um bom começo.

  11. E. Says:

    Um amigo que se considera muito bem casado quando eu perguntei quais eram as novidades, respondeu: Já assistiu Feitiço do Tempo com Bill Murray? Todo dia é sempre o mesmo, o dia da marmota. Acorda, trabalha pra caralho, volta pra casa, brinca com as crianças, dorme, acorda, trabalha pra caralho, vol…etc..
    Diz tudo…
    Casamento bom….nada divertido.

  12. Nina Taboada Says:

    Se a pessoa, em si mesma, não é divertida, não queira que seu casamento seja diversão.

    Casamento é uma extensão de si mesmo…. a dois.

  13. glaucia Says:

    Cheguei atrasada na diversão, digo, no casamento, quer dizer na provocação do blog do Fábio! Caraca gente, criar filho é divertido? E trabalhar então? E escrever? Pra cada uam dessas coisas serem boas, ela teem que, obrigatoriamente, serem divertidas! Ainda que, aqui e ali, tenha o sue lado porre ….
    PS – Gostei de vir aqui, eu que comprei o livro do Fábio pra um namorado e passei pros meus tres filhos adolecentes que passaram pros seus amigos e etc. Olha o dito cujo foi comprado uam vez só mas circulou em várias cabeças… Até hoje aqui em casa a gente fala do Tio do cara…
    Parabéns,
    Gláucia

  14. Luna Says:

    E eu não creio que existam casamentos bons. Divertidos então, impossível.
    Como diria Colombina: “Eu amo, porque amar é variar, e em verdade toda a razão do amor está na variedade…
    Penso que morreria o desejo da gente, se Arlequim e Pierrot fossem um ser somente.”
    E esse conceito de amor tão apreciado por mim, não cabe no casamento, muito ao contrário, é tolhido e sufocado por este.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: