O táxi


 

Estavam no banco de trás do táxi. Penny Lane estava atrás do motorista, João à sua direita.

Estavam voltando de um jantar, e João como sempre parecia interrogar o motorista. Queria saber como vivia. Quantas horas de trabalho, quantos dias. As férias.

Ele escorregou a mão esquerda para o meio das pernas de Penny Lane. Ela pareceu levar um susto. Contraiu-as. Mas depois relaxou.

Enquanto ele interrogava o motorista, acariciava Penny Lane. Ela achou que o motorista tinha notado, e estava gostando do espetáculo. João era indiferente a isso. Queria apenas entender a vida de um motorista de táxi e, ao mesmo tempo, acariciar Penny Lane.

Quando ela ficou úmida, quase inundada, ele levou os dedos à narina.

Cheirou-os como outras pessoas cheiram uma rosa.

5 Respostas to “O táxi”

  1. Nicky Says:

    Cara… Cadê Joãos em São Paulo?
    *suspiros

  2. Adriana Says:

    Ai, ai…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: