Revanche é viver bem sem você


A vida continua ... (Um quadrinho de Zéfiro)

ACORDO, E ESTOU NA CAMA na cama com livros e revistas a meu redor. Apanho uma Time, e estou na seção de cultura. Fala-se de um livro com frases sábias, marcantes, curtas, seis palavras e nada mais. E então vejo uma da escritora Joyce Carol Oates. Revenge is living well without you.

Penso nos amores perdidos, nos braços que se desenrolam para sempre, e admiro a frase de Joyce Carol Oates pela simplicidade sábia e poderosa.

Mas … mas … mas é exequível fazer o que Joyce prega? Não para os amantes neuróticos, pois estes se comprazem na dor, na raiva, na mágoa que não cede. Lembram-se até de alguma canção que possamos ter composto anos, anos atrás, ou de um verso perdido na ruína do tempo. Algumas amantes neurotizadas, cinicamente carinhosas, fazem pré-fabricadas juras de amor a maridos enquanto acompanham meticulosamente os passos de escritores baratos como eu.

E para nós todos, os outros, os que não somos neuróticos, as palavras de Joyce servem? Acho que sim. Ou não? Sim, sim, sim. Eu próprio. Eu detestei, muitas vezes, ver mulheres com quem rompi viver bem sem mim. Confesso. Imaginava-as, como Julietas, aniquiladas depois da ruptura, e a verdade é que elas, quase todas, ou todas mesmo, não apenas sobreviveram como melhoraram sem mim. Ainda bem. Imagino que muitas delas gostariam, também, de me ver destruído.

É. Joyce está certa. Revenge is living well well without you. Ou sem mim. Tanto faz.

13 Respostas to “Revanche é viver bem sem você”

  1. Manu Says:

    Nossa!!! Nossa!!!

    A derrota. O fim. O desespero. A dor. A morte. É tudo que eu sempre desejo pra quem não me quis, me fez chorar e hoje vive bem. Vontade de atropelar. Passar por cima. Engatar marcha ré e voltar, só pra ter certeza de que está mesmo morto.

    Será que ele pensa nisso, meu Deus? No quanto estou mais magra e mais interessante depois que ele me arrancou as víceras? Será que ele vê que a minha vida caminha, mesmo que eu ainda nutra esse ódio mortal por ele, pra frente? Será que ele vê o bem que me fez ao me trair?

    Será que eu realmente vivo bem? =0

  2. Maria Tereza Belumat Says:

    Ah! Como me lembrei da Billie Holiday cantando ” I Get Along Without You Very Well”…

  3. Nina Says:

    “(…) Olhos nos olhos
    Quero ver o que você faz
    Ao sentir que sem você eu passo bem demais

    E que venho até remoçando
    Me pego cantando, sem mais, nem por quê
    Tantas águas rolaram
    Quantos homens me amaram
    Bem mais e melhor que você…
    ( a doce apunhalada!)

    Olhos nos olhos
    Quero ver o que você diz
    Quero ver como suporta me ver tão feliz”

    Aiai!

    • Fabio Hernandez Says:

      quem destruiu essa música? a Gal, a Betânia?

      • Nina Says:

        Seu hernadez, eu gosto da Bethânia cantando.
        Não sou muito fã da Gal não. .)

      • Fabio Hernandez Says:

        hmmm … vc queria ter um encontro de aranhas com a Bethânia, Ninotchka? Seja sincera: ela ou o Caetano?

      • Nina Says:

        Seu Hernadez… hahaha!!!

        As aracnídeas definitivamente não fazem meu gosto, e muito menos o Caê (ele nem cara de macho tem!), mas conheço uma amiga que gostaria e muito. Diz que um dos sonhos dela é acordar ao lado da Bethânia. (fico imaginando a juba (de cima) da criatura), rs.
        ________

        Seu Hernadez, já abusando… eu posso ser atrevida ao ponto de lhe enviar determinados temas/assuntos? Seria interessante saber a opinião de um homem tão sincero. Posso?

        .)

      • Fabio Hernandez Says:

        claro!

  4. Maria Tereza Belumat Says:

    Não sou fã da Bethânia, mas seria injusto eu deixar de dizer que, na minha opinião, ela é, atualmente, a maior cantora dramática do Brasil. A música “Lágrima’, composta por Roque Ferreira, certamente toca as pessoas que já tiveram um amor findo. A mim, me leva às lágrimas…

    • Fabio Hernandez Says:

      sei lá, MT, acho a Bethânia brega demais, sempre o mesmo chororô … falta renovação, falta inovação, embora eu reconheça que aos 70 vc está na fase da manutenção. mesmo assim, gosto muito do disco em que ela canta outro brega, RC …

  5. Maria Tereza Belumat Says:

    Eu concordo plenamente com você, FH, sobre a breguice dela, apesar de respeitar o seu trabalho. Quase não a ouço e nem sinto vontade de assistir aos seus shows. Mas quando se fala de “… amantes neuróticos, pois estes se comprazem na dor, na raiva, na mágoa que não cede”, penso que esta canção é, no mínimo, oportuna.
    Beijo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: