A Menina do Piercing na Língua


Ela me empresta um livro do qual eu tinha ouvido falar com admiração. A Menina do Piercing na Língua. O Passado, romance de amor do argentino Alan Pauls. Eu tinha acabado de ler O Homem Comum, de Philip Roth, altamente depressivo. Gosto de Roth, gosto do erotismo requintado que brota de sua prosa, mas O Homem Comum é negativo demais.

Um cara de 71 anos vê seus amigos doentes, prestes a morrer ou já mortos, e ele mesmo reconhece o quanto sua vida foi patética. Mas gosto tanto de Roth que, ao contrário do que faria normalmente, fui até o fim. Fui fisgado pelo Passado imediatamente. Primeiro pela edição caprichada da editora, e até antes disso pelo bom gosto literário de quem me emprestou. Depois pela citação de dois pintores que admiro, austríacos e iconoclastas os dois, quase da mesma época (final do século 19, início do 20), Schiele e Klimt. Há em Schiele e Klimt um caos colorido, erótico, perturbador. Mulheres angulosas, despidas ou quase, sem vergonha dos pêlos, modelos que quase sempre foram amantes dos dois gênios, e que por meio deles alcançaram a imortalidade. Tenho uma reprodução de O Beijo, de Klimt, em meu quarto. Acordo com ela, e gosto disso.

Um trecho de O Passado me chama a atenção. O protagonista, apaixonado, não pensa na possibilidade de dormir com nenhuma outra mulher. Jamais fez isso. Ele conta isso para ela. Ela diz: “Eu fui pra cama com o Rafael”. Palavras do autor: “Então ele soube que, para algum dia deixar de amá-la, algo mais forte que outro homem, que outra mulher, algo tão desumano e cego quanto um desastre, uma queda de avião, um terremoto, teria de arranca-la de seu lado e extirpa-la de sua alma”.

Reflito um momento. Existe amor assim tão generoso e permissivo? A traição gera ódio e desejo obsessivo de vingança. Muitas vezes a pessoa finge perdoar, mas fica no fundo de sua alma um ódio que, cedo ou tarde, explode alguma forma. Não sei se existe mesmo amor tão lindo quanto o descrito por Pauls.

Chuto que não.

59 Respostas to “A Menina do Piercing na Língua”

  1. Karina Says:

    Se falo de amor, é desse.

  2. Emanuelle Says:

    Existe sim.
    E esse há de acontecer nas nossas vidas! Ah, há de haver!

    • Fabio Hernandez Says:

      vc já traiu, Manu?

      • Emanuelle Says:

        Já. E vou te contar mais: dessa traiaçao surgiu o maior amor da minha vida… O descrito naquele caso que eu te contei, lembra?

        Daqui 50 anos ainda vou tremer as pernas por esse homem.

        Caindo no lugar comum: 20 anos mais velho.

        Ele? CASADO. Rs.

      • Fabio Hernandez Says:

        pera … vc é uma daquelas senhoritas que encantaram o blog com suas histórias de paixão sofrida?

      • NaT Says:

        Manu, UAU!!! Que história é essa , menina?? Conte pra gente!

        Fabio, mandei umas duas mensagens pelo endereço que está no blog. O endereço está certo: escritorbarato@hotmail.com?

      • Fabio Hernandez Says:

        está, Nat … apenas eu quase não vou lá porque gozo de férias maravillosas em mi Habana natal! un poquito de mundo virtual e mucha realidade, ragazza!

      • Emanuelle Says:

        NaT… Vc fez falta neste post!!!
        Essa história já foi contada, querida!!!
        Me manda um e-mail que eu te indico a “leitura”, ok??
        (manuloira@gmail.com)

      • Karina Says:

        Manu, de lá pra cá vc não comentou mais aqui? pq n me lembro de vcs. ou comentou com outro nick, claro, mas é que o pessoal aqui variava bem pouco. enfim… legal que tenha voltado.

      • Emanuelle Says:

        Ká… A história não tem meu nome! Rs.
        Eu dei uma sumidinha pq tive uns probleminhas de saúde.
        Mas sempre observei.
        Na verdade, sigo o FH desde medos de 2007. Justamente por causa dessa história minha…

      • Fabio Hernandez Says:

        dor de barriga, Manu? sucks

      • Karina Says:

        sim, sim, sei que n. nomes são só um detalhe : )

        a relação com o blog do FH é o que há de estável. td passa, e ele fica. na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza… lolololol

      • Fabio Hernandez Says:

        grazie mille, signorina!

      • Emanuelle Says:

        Não, baby. Depressão. Praticamente uma morta-viva.
        Estive noiva (lembra?).
        O cara seria maravilhoso, salvo alguns problemas: ele me roubou, me deixou, me disse ser garoto de programa e bissexual.

        Chupa essa manga!!!

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Ai. Ai.

        é pra rir, não?

      • Fabio Hernandez Says:

        putz, o cara sentava, Manu? vc não desconfiou da falta de vibração dele com sua xanízara?

      • Fabio Hernandez Says:

        jura que vc mandou essa história?

      • Emanuelle Says:

        Sim sim.
        Ai Fabio, seu lerdo.
        Lembra que até meu nome eu mandei?
        Vc trocou pq quis…
        Salvo engano, era Z.

      • Fabio Hernandez Says:

        não era Y?

      • Karina Says:

        “Fabio seu lerdo” huahauhauhuahuaua

        eu me lembrei na hora, Fábio lerdo!!!

        mas então, Manu, já que parece que n pretende manter anonimato algum com relação à história… esse é o tal noivo lá da cidadezinha para onde voltou??? uau, hein!!! essa manga só tem caroço, isso sim!! rsrs
        bola pra frente que atrás vem gente!!!

      • Fabio Hernandez Says:

        ah, vamos republicar porque merece, agora com a identidade secreta revelada

      • Karina Says:

        tb acho!! e com a continuação da trama!!!

      • Fabio Hernandez Says:

        alguém tem o link do texto?

      • Karina Says:

        acabei de pegar, mas, mas, mas… acho por bem deixar que a Manu se pronuncie.

      • Emanuelle Says:

        Gente, fiquei tonta!!!

        Fábio… pode republicar.

        “eu sou a esposa…”

        “algo me diz que ainda posso…”

        São esses.

        Ah…

        Sobre a continuação da história:

        Professor Pecadinho já era. Ai me restou voltar pra casa pra casar com o namoradinho de adolescencia.

        Casa, vestido, buquê, flores, buffet… Tudo pronto. Tudo. O sofá da Nasa é o que mais me fez sofrer!
        Como eu queria aquele sofá na minha sala e aquele idiota assistindo futebol aos domingos.

        Enfim.

        Ele gostava mesmo era de dinheiro.
        Pegou a grana de tudo e zarpou.
        Ai foi quando eu soube de toda a história.
        Não. Eu não desconfiei. Ele é maníaco sexual
        Dizem bissexual.
        Mas não acredito.
        A pessoa gosta de uma coisa ou de outra.
        No caso do ex-noivo. Ele gosta de dinheiro.

      • Fabio Hernandez Says:

        do professor Pecadinho eu lembrava, mas do noivo pederasta não …

      • Emanuelle Says:

        Ai, né… Que que eu podia fazer a não ser desejar a morte?
        Além de deixada eu fui apontada: a mocinha largada no altar pelo noivo gay.

        Terapia. Emagrece/engorda…Enfim…

        Já escrevi sobre isso.

        Vou mandar procêis!

      • Karina Says:

        praticamente uma terapia em grupo isto aqui, Manu!
        Sofá da Nasa??? jisusss nem sei como é isso, mas deve ser bom. e caro. ai!

        os posts são estes, FH. Não me lembrava do 2º.

        primeiro:

        https://fabiohernandez.wordpress.com/2009/10/21/sou-a-esposa-do-professor-com-quem-voce-esta-tendo-um-caso-ha-mais-de-um-ano/

        segundo:

        https://fabiohernandez.wordpress.com/2009/10/25/algo-me-diz-que-ainda-posso-ter-esse-homem-em-minha-cama-novamente/

      • Karina Says:

        como Manu n vê problema, mandei os links, FH. aguardam sua moderação.

      • Emanuelle Says:

        Pode mandar, Ká!!!

        A minha desgraça já foi comentada por toda a cidade mesmo.
        A família inteira já me olhou com pena.
        o que de pior pode haver?
        Essa ai, que eu mandei pro Fábio, é a parte bonita da história de um amor.

        O resto é só detalhe.

      • Emanuelle Says:

        Ka, me manda seu email ai…

      • Karina Says:

        mando, Manu, é só vc indicar um meio menos público.

        a gente esquece que há muuuuitos voyeurs que n se manifestam mas tb acompanham o blog ; ) nunca se sabe o que pode vir, né.

      • Karina Says:

        ah, desculpe, acabei de ver seu email lá em cima =pp

      • Emanuelle Says:

        Ká e Fábio:

        Eu sou do interior. Sai daqui aos 14 anos e fui pra BH, estudar e tal. Aos 16 anos conheci esse rapaz que foi meu noivo. Mantemos esse relacionamento (de vai-e-volta) por quase 7 anos. Os 5 primeiros anos a distância.
        Fui a namorada mais perfeita do mundo. Tirando esse meu deslize com o prof, né? Mas como ele era casado, ninguém podia saber. Então a gente se divertia. Sim, Pecadinho foi o amor mais lindo da minha vida!!! Mas tinha o ex, né?
        Eu? Inteligente, educada, linda, prestativa, bem humorada… Ele? Um idiota, canalha. Foram quase 7 anos. Depois disso? Mais de ano de terapia. Cheguei a tomar remédio de gente louca. Eu quero ser inteira de novo! Quando vai acontecer?
        Na boa. Ele secou meu coração. Acabou comigo. Com o que eu podia sentir um dia. Me fez desiludir dessa coisa que eu sei que existe. Que eu sei que as pessoas sentem. Mas eu acho que não foi feita pra mim. Meu Deus!!! Esse ódio é normal? Essa vontade de que ele morra atropelado na primeira esquina? Essa vontade de que ele sinta tanta dor no coração quanto eu, que chegue a enfartar?
        Eu agora não amo mais. Sou incapaz. Ou então o amor mudou. Pq eu não sinto mais medo de perder ninguém. Não choro mais de decepção. Nem tenho mais tanta vontade de almoçar junto. Passar o feriado na praia. Nem faço planos de mamãe, papai e 5 filhos. Lua-de-mel em Aruba? É de morrer, né? Que breguice.
        Será que eu não casei pra ser feliz?
        O que mais me mata são os comentários: “Ah, foi melhor assim”. Ah… Vai p PQP. Seria melhor se ele não fosse um gay, garoto de programa, um ladrão. Isso sim. Seria melhor se ele tivesse me deixado usar o vestido lindo daquela estilista famosa. Seria melhor se ele tivesse me dado a oportunidade de limpar a porcaria do piso que é tão fácil de limpar, segundo o vendedor da loja. É melhor gastar uma fortuna com terapia pra ver se eu conserto a cabeça que ficou totalmente desnorteada depois dele? E o ódio que eu sinto? Casa construída, meu vestido lindo, convite caro, buffet da moda, igreja decorada, tudo sem casamento. E aí? Tô aqui, ó! Morrendo de raiva, desejando que ele nunca mais se dê bem na vida.
        E a vergonha de desmarcar buffet e falar com o Padre? Minha né? Pq ele não fez absolutamente nada além de me dar um pé e ficar com a minha grana.
        7 anos e ele só teve tempo 6 meses antes do sim? Ele levou todo esse tempo para me deixar saber? Eu sei que ele não presta. É isso. Ele não vale nada.
        Pq ele não é o cara machão, que conhecia todas as pessoas da cidade? Pq??? Ele me enfiou num buraco. Acabou com a minha vida. Todo mundo me aponta o dedo. Sente pena. Eu agora quero que essa coisa de casamento se foda. Eu? Trouxa de novo? Fazer planos? Nunquinha. E ser mãe? Deus me livre. Ter um filho pra ser abandonado pelo pai? Todos os homens fazem isso. Ou, ao menos, como meu Pecado, pulam a cerca. Sem nenhuma dor na consciência. Essa coisa de família, sabe? Já era.
        Namorar em casa? Pro meu pai ficar super feliz achando que tem um novo filho? Pra um babaca qualquer fingir que gosta dos meus irmãozinhos e fazer minha rir? E depois disso tudo me enfiar uma faca na barriga? Pq ele não me arancou as pernas? A dor seria menor. Eu não teria ficado com esse medo gigante das pessoas na rua. Medo de falar meu nome e saberem que é a reporterzinha deixada no altar.
        Não. Nunca percebi. Ele tem algum desvio sexual, sim. Além de garato de programa, acho que pra mostrar virilidade, ele queria sexo toda hora, de qlqr maneira. Claro que não era normal. Mas pelo menos demosntrava ser homem, né? Agora eu sei. Era a maneira dele provar a masculinidade dele. Era a maneira de me enganar. De me tapar os ouvidos e os olhos. Inocentezinha, tadinha!
        Ah, tudo bem. Eu aprendi um monte de coisa com isso. Mas não agüento mais emagrecer e engordar. Ser inconstante nos relacionamentos. Ter medo de ser amada de novo.
        Como o Danoninho me disse, eu preciso arriscar. Mal sabe ele que eu tenho medo daquele abismo em que eu me vi um dia… Larguei tudo. Comecei a viver de vento. Deixei trabalho, família. Nem falava coisa com coisa. Tudo por causa de um gay idiota. Pq é isso que ele é.
        Essa coisa de bi, não existe não. O caso dele é amor ao dinheiro. Ele faz qlqr coisa por grana. Qlqr. Desde deixar a fofurinha auqi no altar chorando rios de lágrimas, até se deitar com homens em camas sujas de beira de estrada. DI-NHEI-RO. O demônio da minha vida.
        Será que eu vou poder amar de novo ou ta difícil? Será que alguém vai me dar valor? Aquele frio na barriga. Ai, meu sofá da Nasa!!! Eu daria a vida pra passar um domingo sem fazer em cima dele. Só assistindo TV. Eu até serviria cervaje pro ingrato do meu marido.
        Será que esse troço de amor é pra mim, Nossa Senhora? Será que o amor que nos tira o Fôlego é só um? O Pecadinho me arrancou o fôlego. O ex me arrancou a grana. E lágrimas. E o amor. Infértil.
        Eis-me aqui.
        Meu acso? Do não casamento. Felizes para sempre? Ele né? Eu, vou levando. Até conseguir, pelo menos, me deixar ser amada novamente. Se é que eu fui um dia.

      • Emanuelle Says:

        O pecadinho?? Ah… meu pecado!!! Professor caolho!

        Depois disso eu o vi mais uma vez. há poucos meses…
        Eu até escrevi para o Fábio… ai a cópia, ó:

        Meu caro escritor barato!

        Acuso, aqui dentro, uma necessidade de dividir com você novos fatos a respeito da minha tão complicada e linda história.

        Tudo começa no final. O final daquele noivado de aparências, de conveniências e coincidências. Não poderia levar adiante um relacionamento que não tem proporções ao menos parecidas com o amor que eu experimentei nos braços do meu professor-pecado. Um final agonizante, cheio de dor, recheado de angústia e lágrimas infinitas. Um final digno de brigas novelescas, com presença policial e tudo. Barracos, na linguagem popular.

        Não refeita desses traumas, mas movida por um sentimento de querência sem fim, procurei meu pecado mais doce. Contei a ele que os últimos 3 anos fui movida por esperança de reencontrá-lo. Vim recolhendo os pedaços do meu coração, por ele despedaçado. Expus-me, indecentemente.

        O resultado? Ele de novo dividindo a mesma cama. O mais impressionante? O cheiro. Ah, que cheiro. O cheiro não mudou. Os cheiros não mudam. Aquele mesmo das minhas tardes de estudante. Aquele cheiro que tirava meu ar nos corredores da universidade. O cheiro da minha recordação mais bela. O cheiro que aguça minhas vontades mais vulcânicas. Explosão de cheiro, gozo, suor, amor.

        Confesso que ao longo desse tempo, sempre que me deitava com alguém, era empurrada por um sentimento de vingança mesquinho. Como se eu quisesse fazê-lo afogar na minha satisfação sexual. Mas eu sempre colhi os frutos da minha vingança mal sucedida. Eu sempre paguei pelo gozo superficial do corpo, que dói na alma de amantes românticos, como eu.

        Esse reencontro me fez repensar esses conceitos de sexo desprendido. Lembrei-me que foi dessa forma que o abordei. Com intenção de ter absolutamente nada. E vim parar aqui. Dessa forma. Fábio, sexo dói, de uma forma ou de outra. Dói de emoção. Dói de ódio. Só pessoas extremamente racionais discordam disso. Mas essas não vivem delicias de conhecer os movimentos da montanha-russa de sentimentos: explosivos como fogos de artifício, que descobrem o céu, e gélidos que nos levam tão ao fundo do poço que temos a surpresa de habitar o pólo sul.

        Agora? Continuo vivendo de esperança. Esperança de que ele logo se decida por abandonar o lar e viver comigo. Sair da ilegalidade. Sentir aquele cheiro diariamente. Sentir a faísca da sua presença ao meu lado. Acender o corpo e o coração com cada sorriso que eu perco do seu dia-a-dia. Saber como ele faz a barba. Saber se ele fecha as gavetas empurrando com a perna. Conhecer o mau humor matutino e me despedir a cada saída pro trabalho. Assistir ao futebol, podendo gritar o nome dele e não precisar mais me esconder atrás dos túmulos do cemitério quando alguém, próximo a ele morrer. Como eu morro todos os dias sabendo que perdi mais uma chance de compartilhar tudo isso com meu pecado favorito.

        A hora errada existe. E eu vivo furtivamente justamente por causa dela. Eu cheguei na hora errada. Atrasada. E pago por isso com as dores do amor clandestino.

        Um beijo, meu querido escritor.

      • Fabio Hernandez Says:

        putz, perdi essa, Manu.
        quase não entro em meu email, uma vez que as praias de mi Habana a mi me encántam, e então não vi essa carta maravilhosa. corrijo o erro dando-a no blog. espero que vc tenha superado o golpe do namorado que preferia uma mangueira, para usar a linguagem pitoresca do Daniboy, a sua xanízara … namastê

      • Fabio Hernandez Says:

        pode-se dizer neste caso, Manu, que é acertado o provérbio popular segundo o qual ‘amor de pica fica’?

      • Karina Says:

        hum…

        acho que nada que se diga vai mudar sua visão das coisas agora ou abrandar o que sente. Com o tempo, muita coisa se mostra pequena. Isso pq frequentemente supervalorizamos o que n tem tanto valor.
        Mas ninguém pode fazer com que vc sinta de outra forma. Isso vai partir de vc. e possivelmente não agora. Permita-se viver, e só, sem expectativas. Um dia, depois outro, e outro… e assim virão mais surpresas. Boas e ruins. Viver é isso.

        ps: não sinta vergonha pelo dedo apontado dos outros qd não foi vc quem errou. se julgar que fez algo errado, reconheça e siga adiante.

  3. Libète Says:

    Fabio… também acho que não.
    Acredito no amor, mas não desta maneira incondicional… Confesso que não gostaria de ter um homem que aceitasse tudo porque me ama. Provavelmente perderia a admiração por ele, não acho saudável um homem amar a mim mais do que a si mesmo.

  4. Rebeca Says:

    Por falar em livros, gostaria de dar uma dica pra quem curte quadros e arte
    http://artelivreexpressao.blogspot.com/

    Bjs…

    • Fabio Hernandez Says:

      nossa, que site lindo, Reb, nossa indômita semita … gracias por compartilhar conosco!

  5. Graça Says:

    Fabio, o ato de trair esta associado ao desrespeito como ser humano, bem antes de ser amor…desrespeito eu nao aceito.

    Em relaçao ao amor, acredito quando construido junto, dia a dia, caso contrario, o desequilibrio se instala e detona tudo…onde existe desequilibrio, o amor sucumbe.

    • Fabio Hernandez Says:

      concordo, Graça …

      • NaT Says:

        Você já traiu, Fabio? E concorda que está a traição está incondicionalmente ligada ao desrespeito a outra pessoa ou apenas imaturidade que quem trai?

  6. NaT Says:

    Correção:
    Você já traiu, Fabio? E concorda que a traição está incondicionalmente ligada ao desrespeito a outra pessoa ou é apenas imaturidade que quem trai?

    • Fabio Hernandez Says:

      já, mas também já fui traído … o bonito em alguns casos é que ao mesmo tempo traí e fui traído, numa sincronia quase perfeita

      • Emanuelle Says:

        Eu já passei por isso.
        Rs.
        Uma ótima sintonia!

      • Graça Says:

        Fabio, traiu e foi traido em sintonia quase perfeita ? Putz, como eu sou basica e simples…

        Se eu quero estar com a pessoa, fico, caso contrario vou embora, e espero que o outro faça o mesmo…simples assim…nao entendo esses jogos…

  7. Rebeca Says:

    Oi Fabio, o blog que compartilhei é de um artista iniciante que tenho grande estima….
    Em relação ao tema acho que a traição parte o amor em pedaços, esse amor incondicional que resiste até aos maus tratos (digo isso pq quem te trai acaba te causando um mau) não tem como, seria nada mais que falta de amor próprio, temos que saber onde uma relação começa a nos prejudicar e aquilo não faz mais bem pra gente… bjs

  8. Daniel Chicote Says:

    Trair e ser traído … será isso coisa tão normal como respirar?
    Quero dizer, será que não existe de verdade amor sem traição?
    Ou será que trair e ser traído é coisa tão comum, como cair quando se está aprendendo andar de bicicleta?

  9. john Says:

    ahh, mais uma a se apaixonar por um sociopata.. Normal… Uma das caracteristicas de um bom sociopata, q sabe se encaixar na sociedade, q sabe nao levantar kestoes sobre sua falta de sentimentos, eh q esta pessoa, q pode ser homem ou mulher, eh dissimulada, sabe (fingir) ser dócil e mansa com as pessoas. E assim, sendo kerido por todos, o sociopata acaba usando as pessoas para se dar bem.. Os sem noçao e sem etiqueta, acabando sendo sem noçao, falando besteiras, mostrando para todos q nao se importam com ninguem, que o mundo é dos espertos etc.. Mas esses sao os sociopatas ruins.. Os piores sao os q chegam até a cometer crimes hediondos… E tem os q ainda tem algum retardo mental, q sempre acham q estao certo, nao importam o q digam ou façam…

    Bom, o problema eh q quando estamo diante da presença de um ótimo sociopata, q sabe realmente fingir q é mansinho, carinhoso, dócil etc.. Ninguem diz q o cara tem alguma sociopatia… Logo, essas pessoas q xingam a Emanuelle de “Noiva do Gay” etc, sao hipocritas, pois nem elas sabiam q ele nao teria sentimentos suficientes para nao se importar em fazer o q fez, e viver sem culpa, feliz da vida, sem remorso, ou seja: ninguem sabia q ele era um sociopata acabado e perfeito.. Esses caras sabem fingir.. qualquer pessoa pode ser vitima de pessoas assim.. A emanuelle nao foi culpada.. Nada a ver zoar com ela por isso.. Ainda mais q uma das formas de camuflagens de pessoas sociopatas, é justamente criar familias. Para camuflar e servir de esconderijo para a propria sociopatia e/ou outras psicopatias. Claro q isso é para os sociopatas muito bons, q sabem ir vivendo sem se importar, mas q nao kerem mostrar o q é para os outros, para q ser malvisto, pego pela policia ou afins… Entao tem muito marmanjo casado com mulher assim, mulher casada com cara assim, homem casado com homem assim, mulher com mulher assim.. pessoas q fingem o q nao sao.. Nao ha como fugir disso. Entao emanuelle, acalma, q o mundo está cheio de pessoas assim, muitos com cargos sociais importantes, outros com profissoes muito boas, outros mais sem noçao nao conseguem fingir, e estao, ou vao estar presos.. Nao ha como fugir de pessoas com essas caracteristicas.. E se vc ficou com toda essa vontade de ve-lo morto atropelado na eskista, entao.. pode ser q pessoas com psicopaticas q deixam com caracteristicas de nao ter sentimento, empatia, por ninguem, seja tao semelhante com pessoa q tenha sentimento. Mas nos sonhos mais sombrios dessa pessoa q tem sentimentos. Tem ateh uma maxima q diz q os maus só fazem o q os bonzinhos fantaziam fazer 😛 hehe
    entao emanuelle, espero q vc tenha força e maturidade de perceber q vc foi uma vitima aleatoria de alguem q nao tem remorso nem culpa em sakanear alguem, ou seja, de alguem de indole ruim, sociopata, psikopata etc.. Isso pode acontecer com qualquer pessoa, e acontece todo dia ^^

    boa cura pra vc!

  10. john Says:

    Correção:

    ahh, mais uma a se apaixonar por um sociopata.. Normal… Uma das caracteristicas de um bom sociopata, q sabe se encaixar na sociedade, q sabe nao levantar kestoes sobre sua falta de sentimentos, eh q esta pessoa, q pode ser homem ou mulher, eh dissimulada, sabe (fingir) ser dócil e mansa com as pessoas. E assim, sendo kerido por todos, o sociopata acaba usando as pessoas para se dar bem.. Os sem noçao e sem etiqueta, acabam falando e fazendo besteiras, mostrando para todos q nao se importam com ninguem, que o mundo é dos espertos etc.. Mas esses sao os sociopatas ruins, q não sabem se inserir na sociedade, e foram crescendo com uma educação q não permitiu q eles seker soubessem da própria condição de psicopata… Por isso q tem os q são desenfreados, e chegam até a cometer crimes hediondos… E tem os q ainda tem algum retardo mental, q sempre acham q estao certo, nao importam o q digam ou façam…
    Bom, o problema eh q quando estamos diante da presença de um ótimo sociopata, q sabe realmente fingir q é mansinho, carinhoso, dócil etc.. Ninguem diz q o cara tem alguma sociopatia… Logo, essas pessoas q xingam a Emanuelle de “Noiva do Gay” etc, sao hipocritas, pois nem elas sabiam q ele nao teria sentimentos suficientes para nao se importar em fazer o q fez, e viver sem culpa, feliz da vida, sem remorso, ou seja: ninguem sabia q ele era um sociopata acabado e perfeito.. Esses caras sabem fingir.. qualquer pessoa pode ser vitima de pessoas assim.. A emanuelle nao foi culpada.. Nada a ver zoar com ela por isso.. Ainda mais q uma das formas de camuflagens de pessoas sociopatas, é justamente criar familias. Para camuflar e servir de esconderijo para a propria sociopatia e/ou outras psicopatias. Claro q isso é para os sociopatas muito bons, q sabem ir vivendo sem se importar, mas q nao kerem mostrar o q é para os outros, para q ser malvisto, pego pela policia ou afins… Entao tem muito marmanjo casado com mulher assim, mulher casada com cara assim, homem casado com homem assim, mulher com mulher assim.. pessoas q fingem o q nao sao.. Nao ha como fugir disso. Entao emanuelle, acalma, q o mundo está cheio de pessoas assim, muitos com cargos sociais importantes, outros com profissoes muito boas, outros mais sem noçao nao conseguem fingir, e estao, ou vao estar presos.. Nao ha como fugir de pessoas com essas caracteristicas.. E se vc ficou com toda essa vontade de ve-lo morto atropelado na eskista, entao.. pode ser q pessoas com psicopaticas q deixam com caracteristicas de nao ter sentimento, empatia, por ninguem, seja tao semelhante com pessoa q tenha sentimento. Mas nos sonhos mais sombrios dessa pessoa q tem sentimentos. Tem ateh uma maxima q diz q os maus só fazem o q os bonzinhos fantaziam fazer hehe
    entao emanuelle, espero q vc tenha força e maturidade de perceber q vc foi uma vitima aleatoria de alguem q nao tem remorso nem culpa em sakanear alguem, ou seja, de alguem de indole ruim, sociopata, psikopata etc.. Isso pode acontecer com qualquer pessoa, e acontece todo dia ^^

    boa cura pra vc!

  11. Emanuelle Says:

    Putz, John.
    Sem palavras.
    Eu não me sinto bem querendo que ele se foda na vida, sabe? Eu não queria sentir. Mas é incontrolável.
    Essa pessoa me destruiu. Acabou com meus sonhos. O que eu posso fazer com relação a isso, além de marcar ponto na terapia???

    E tem mais: eu arrisco dizer que vc é um estudante, ou leitor, ou observador, ou profissional. Essa camuflagem ai, nessas palavras grafadas de maneira “internética” (rs) podem enganar alguém… Algum dia!!!

    Obrigada pela energia positiva!

    Eu tô conseguindo.

    • Fabio Hernandez Says:

      quanto menos vc pensar naquele cara, melhor, Manu.
      lembre-se. ninguém obriga vc a pensar no cara.
      marco aurelio, o rei-filósofo, escreveu que bastava a gente desviar o pensamento de alguma coisa ruim para recobrar a felicidade.
      é verdade.
      qdo estou pensando em alguém que me fez mal, me dou um beliscão interior e levo minha mente para alguma coisa boa — um sorriso da minha filha, um gol do Corinthians, uma lembrança do meu pai etc etc

      • Daniel Chicote Says:

        Manuzinha, o Fabio está certo. Eu também já te disse isso. :o)

        Fábio! PQP, como assim você é CORINTHIANO?! PARABÉNS.
        PQP! Se eu já era seu fã, agora então! Rs. Rs. Rs. :o)

      • Fabio Hernandez Says:

        desde 1910, Daniboy, desde 1910!

      • Emanuelle Says:

        hahahaha

        Infelizmente não dá pra pensar em nenhum gol do Galo pq ele não faz isso há tempos!
        Não tenho filhos.
        Meu pai acha que eu ainda estou pirada e me trata como uma incapacitada intelectualmente pq tem depressão.

        Vou tentar pensar no Danoninho… ele me arranca bons sorrisos por aqui! Rs.

  12. Rebeca Says:

    Manu vc pode conseguir outra coisa bacana pra pensar sem ser essas especificamente citadas pelo nosso escritor barato, bem algo que esteja na sua realidade e possa te dar algum alivio pra esses pensamentos, concordo com o Fabio quando ele diz que vc ñ deve pensar nele.
    O apelido pegou Danoninho, tão bonitinho, será que tbm é gostoso feito o apelido? rsrsrsrrsrrsrs bjs

    • Daniel Chicote Says:

      Eu também concordo. Manuzinha, pensa no CURINTIA também! Rs. Rs. O Seu Galo não tá com nada!

      Depois a Manu te conta, Rebs … ela tá querendo provar! ;o)

      • Emanuelle Says:

        Danoninho, vc fica contando meus segredos assim?

        E vc ofendeu meu galo. Não quero provar mais nada!!!

        Ah não ser q vc vire atleticano… ai eu repenso minha atitude.

        rs.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: