A arte de dizer adeus


ELE SOUBE SE DESPEDIR

Nós não soubemos acabar. Isso hoje é claro para mim e, imagino, para você. Nós não soubemos acabar. Acabamos muito depois do que teria sido razoável. Acabamos não quando havia uma construção da qual nos lembrarmos e sim quando já não restava nada mais que ruínas que evocavam sofrimento e pesar numa dosagem desnecessariamente elevada. Existe um tempo para iniciar e existe um tempo para terminar. Errar no tempo para terminar é muito pior do que errar no tempo para começar. Num caso, logo compensamos as alegrias ainda não gozadas. No outro, é irreparável a dor que advém do prolongamento vão do que deveria ter sido encerrado lá atrás.

Nós não soubemos acabar.

Pôr fim a uma relação amorosa é uma arte tão desafiadora quanto tocar com graça uma flauta. A covardia nos detém muitas vezes. Outras vezes, o desfecho é adiado por uma última, ou penúltima, ou antepenúltima, lufada de esperança. E há ocasiões em que nossa ação é impedida apenas por uma inércia para a qual não encontramos e nem buscamos explicação. Sei lá. Talvez nas escolas devesse haver uma disciplina que nos ensinasse a terminar uma história de amor. Nos ensinam álgebra e geografias remotas nas escolas, mas não nos ensinam coisas básicas da vida, como identificar o final de um caso e agir.

Nós não soubemos acabar.

O fim em geral é claro, apenas a gente finge que não vê. Onde havia antes compreensão e tolerância, ergue-se a impaciência. Onde havia antes generosidade, ergue-se um rigor por vezes cruel. Onde havia antes ternura, ergue-se uma crescente grosseria. Onde havia antes disposição para dividir, ergue-se o egoísmo. O que foi amor virou desamor. Os fatos gritam. Mas as pessoas fingem não ouvi-los. Fingem muitas vezes demasiadamente além do aceitável. E então sofrem bem mais do que o necessário.

Nós não soubemos acabar.


7 Respostas to “A arte de dizer adeus”

  1. Graça Says:

    Fabio, este post esta perfeito ! Nem vou escrever muito, para nao correr o risco de deixar aqui um romance.

    A unica coisa que vou dizer: acabar um relacionamento no tempo certo significa manter vivo tudo o que construiram de bom.

    Dar ao outro e a vc mesmo a oportunidade de recomeçar, tambem e uma prova de amor. Um amor diferente…mas mesmo assim, amor.

  2. Alice Barros Says:

    Me identifico. Nada mais a declarar.

  3. Gueixa Says:

    Fabio, sempre ficam marcas, cheiros, cores… No início, parafraseando Chico Buarque, nos adoramos pelo avesso, mas depois tudo se pacifica e é bom recordar…sentir todos os aromas, rir de nossos medos, de nossas inseguranças…enfim…Quem sabe terminar? Em que momento?
    Difícil.
    Eu não sei.
    Bj de uma Gueixa que não sabe sequer começar….

  4. Gueixa Says:

    Vi quero compartilhar….La Quetion…

    • Fabio Hernandez Says:

      putz, é linda essa música. grande contribuição, Gueixa-san. música pura, linda, sem superproduções, clips pré-MTV … gracias e saludos

  5. Libète Says:

    Este texto é muuito bom! Aplausos para vc Fabio!

  6. Ralf Says:

    Lembro de ter lido esse texto na VIP. Maravilhoso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: