Filmes e livros quentes: minhas listas curtas


Obra de Schiele

Uma obra de Schiele

MINHA LISTA CURTA de filmes que você não vê sem ficar com certas idéias na cabeça:

1) Decameron, Pasolini. Se você acha que o sexo é uma invenção nova, dê uma olhada em como as coisas eram na Idade Média.

2) História de O, de Justin Jaeckin. Corinne Clery é uma deusa neste clássico da submissão.

3) Emanuelle, de Justin Jaeckin. Silvia Krystel parecia ter nascido para ser possuída. A cena em que uma admiradora de Paul Newman se acaricia numa cadeira de balanço enquanto conversa com Emanuelle é cultuada.

4) Império dos Sentidos, de Mishima. Raras vezes alguém mostrou tão bem o quanto o sexo torrencial pode estar associado ao desespero.

5) Os Sonhadores, de Bertolucci. Em 1968, os estudantes franceses não estavam interessados apenas em fazer a revolución.

AGORA MINHA LISTA CURTA de livros que ao ler seu coração pode palpitar:

1) Relações Perigosas, de Choderlos de Laclos. Um romance feito à base de troca de cartas  mostra como se pode manipular uma jovem inocente na corte francesa pré-Revolução.

2) Decameron, de Bocaccio. Leia filme 1.

3) História de O, de Pauline Réage. Leia filme 2.

4) Delta de Vênus, de Anais Nin. A delicadeza feminina no erotismo.

5) O Animal Agonizante, de Philip Roth. O velho tema professor-aluna revisitado por um mestre.

Etiquetas: ,

15 Respostas to “Filmes e livros quentes: minhas listas curtas”

  1. Petit Poupée Says:

    Taí uma listinha que merece ser anotada, merci! Relaçoes Perigosas é meu predileto!

  2. Karina Says:

    Putz, acho que só assisti a Emanuelle, e nem tenho certeza.

    Dá para incluir aí Lua de Fel, do Polanski, aquele que vai passar uma temporada nos chalés suíços? (ai, ai..)

    Animal Agonizante n li, mas assisti à versão filmada com a Penélope Cruz, intitulada aqui “Fatal”. Não gostei. Ainda estou me convencendo a ler Phillip Roth, n ando muito inclinada a essa literatura deprê dele.

    • Fabio Hernandez Says:

      Os livros antigos do Roth são melhores e não depressivos, K. Experimente Pastoral Americana.

  3. Rafael Says:

    Ah, Eva Green…

    Recomendo A Casa dos Budas Ditosos, João Ubaldo.

    • Karina Says:

      Vc viu a peça com a Fernanda Torres, Rafael? É mais dinâmica que o livro, gostei bem mais.

      • Rafael Says:

        Vi sim, Ka! A Fernanda é ótima mesmo, mas sei lá – como gostei muito do livro senti falta de algumas partes. Acabo sempre preferindo o original. vc viu que estreou aqui em são paulo de novo?

      • Karina Says:

        Já eu n gostei tanto do livro, achei arrastado, por isso preferi a peça =/ Pela experiência (apesar de única), gosto mais do Ubaldo como cronista. Eu me divertia com umas crônicas temáticas que ele publicava aqui no Rio.

        Como vê, sou do Rio rsrs Mas soube, sim, que a peça tinha voltado.

      • Fabio Hernandez Says:

        com todo o respeito que esse grande escritor merece, prefiro longe

  4. Anarcoplayba Says:

    Por sinal, presente pra vocês: http://cseabra.utopia.com.br/poesia/

    Divirtam-se.

    • Fabio Hernandez Says:

      Presentaço! Escolhi um pra galera. Já fui gostando do sobrenome do autor, Rasputim. Lá vai:
      Geraldo Ângelo Rasputim

      PÚBIS CARENTE

      Púbis carente
      Saudades
      Momentos contentes
      gozo,
      êxtases
      suspiros

      Gemidos
      Gritos.

      Pecado
      Volúpia
      Boca molhada
      Pêlos molhados
      Suor
      pecados
      Líquido salgado

      Saudades
      Púbis carente

    • Karina Says:

      Então lá vai minha contribuição. Não cheguei a ver se está na lista do Anarco. A-do-ro.

      Nua, mas para o amor não cabe o pejo
      Na minha a sua boca eu comprimia.
      E, em frêmitos carnais, ela dizia:
      Mais abaixo, meu bem, quero o teu beijo!

      Na inconsciência bruta do meu desejo
      Fremente, a minha boca obedecia
      E os seus seios, tão rígidos mordia
      Fazendo-a arrepiar em doce arpejo

      Em suspiros de gozos infinitos
      Disse-me ela, ainda quase em grito
      Mais abaixo, meu bem! – num frenesi.

      No seu ventre pousei a minha boca,
      Mais abaixo, meu bem! – disse ela, louca,
      Moralistas, perdoai! Obedeci.

      Olavo Bilac.

      • Karina Says:

        Título: Delírio.
        Sorry 🙂

      • Fabio Hernandez Says:

        acho esse smile uma graça, coisa tão de mulher que me comove!

      • Fabio Hernandez Says:

        Maravilhosa! “Moralistas, perdoai!Obedeci.” é muito bom. Gde contribuição, Srta K.

  5. Geraldo Angelo rasputim Says:

    Por acaso , encontre este site/blog não sei.fds, mas fiquei feliz por voc~e ter gostado da minha poesia….
    em breve enviarei mais contribuição neste sentindo, ou seja, cultura, poético e erótico no casa, né?

    um grande abraço, rasputim

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: