Ele foi vítima de uma paixão absolutamente não correspondida e quer auxílio


Vou chamá-lo por um nome poético.  Anônimo Veneziano. É o título de um filme antigo, do qual lembro apenas o tema musical suave, lírico. Era passado em Veneza, ou deveria ser pelo nome, mas sequer disso me recordo. Mas o título é bonito, a melodia ainda mais, e então decidi tratar nosso amigo por Anônimo Veneziano.

Animado pelos debates e conselhos em torno de histórias românticas, ele narrou a sua própria. Talvez por desabafo, talvez na esperança de uma palavra de uma palavra que o conforte e, quem sabe, o oriente.  Anônimo Veneziano foi vítima de um mal comum entre homens e mulheres: a paixão unilateral, absolutamente não correspondida, aquela em que você dorme sonhando com um banquete amoroso e acorda sem sequer as migalhas da compaixão, expressas em geral num beijo em que ela oferece rapidamente o lábio mas não a língua, por um momento fugidio e uma única vez, e mesmo assim está pensando em outro homem naquela fração ínfima de tempo.

Em suma, Anônimo Veneziano estava disposto a tudo e num gesto dramático se atirou, mas o fato cruel como um cossaco russo e grosseiro como um cigano búlgaro é que não levou nada a não ser frias palavras de incentivo, e escassas e breves. Mesmo assim, em outra situação clássica dos amores unilaterais, Anônimo Veneziano garantiu a ela que, se o pior ocorresse, isto é, se a amada ficasse só, abandonada, infeliz, atormentada, deprimida e mentalmente instável, ele estaria ali, para acudi-la. Firmou uma espécie de seguro vitalício anticalamidades amorosas para a dona de seu coração.

Até aqui, passados dois anos, nada aconteceu de catastrófico para ela, mas Anônimo Veneziano não perdeu a esperança de tê-la um dia, como o Ivan de Noites Brancas de Dostoievski, um sonhador romântico que, na São Petersburgo dos czares russos, diz que um minuto da atenção amorosa de Natasha tinha o valor de uma vida inteira.

Tio Fabio, um falecido homem sábio do interior, dizia que você deve tratar o amor impossível como uma píton que irrompa, do nada, em seu caminho: corra. Segui sempre este conselho. Não estamos num consultório sentimental, e sim numa comunidade em que opiniões são trocadas, mas ainda assim eu aconselharia Anônimo Veneziano a romper o seguro e virar a página em que estacionou há dois anos.

Garantias como a que ele ofereceu a quem não as pediu têm dois riscos para quem as assina. Primeiro, o da imobilização. Ninguém quer que Anônimo Veneziano não dê suas escapadas, não renove suas histórias de amor, não siga o seu caminho, exceto talvez ele mesmo. O segundo risco é,  ele fazendo o que tem que fazer, ou seja, descobrir outras fêmeas apetecíveis e disponíveis, a amada reaparecer em más condições e cobrar, na draga total, o que lhe foi, no êxtase da desilusão, prometido. Não seria um caso inédito, posso afirmar.

Move your fat ass, sucker, diz um pistoleiro num faroeste italiano qualquer nota que já vi 11 vezes e, assim que puser ponto final aqui, verei pela 12.a. Não é um conselho doce, mas é sábio, e é o que tenho de melhor a dizer a Anônimo Veneziano. Mexa-se, como um jogador que, sendo limitado na técnica, sabe que esta é a única forma de um dia a bola chegar a seus pés.

Pode ser que vocês possam ajudá-lo mais que eu.

9 Respostas to “Ele foi vítima de uma paixão absolutamente não correspondida e quer auxílio”

  1. Ravi Freitas Says:

    Ele praticamente vendeu sua alma. É um trato com o capeta, que quando menos se espera, é cobrado.

    Só existem 4 coisas que curam um amor não correspondido (pra mim):
    1 – Uma garrafa de Jack Daniel’s (ou umas de Heinekein)
    2 – Uma caixa de Camels
    3 – Um bom cd de música (Blues ou Jazz, de preferência)
    4 – Um envolvimento com alguém (seja só sexo, seja várias pessoas, seja um namoro, etc)

    • Fabio Hernandez Says:

      Imaginar a pessoa em situações ridículas, gagá e sem dentes, por exemplo, tb dá uma mão, Ravi.

  2. Uila Gabriela Says:

    Caro Anônimo Veneziano (adorei o pseudônimo)
    FUJA!
    Reorganize a sua vida, e caso a assombração volte, fuja mais ainda, caso contrário, ficará preso nesse pesadelo maldito adolescente pro resto da vida ^^

    :*

  3. Alice Barros Says:

    Concordooo!!!
    Caro amigo, tome um porre graaande, ouça um jazz do Coltrane, tenha uma noite de sexo selvagem e libertino e fuja desse pacto inútil!
    Viva sua vida sem depender de quem não quer naaada com vc!
    =*

  4. Pẽ Sousa Says:

    A menos que nosso amigo Anônimo prefira levar consigo a imagem da sua paixão platônica, algo como “A mulher invisível” que acabou se tornando bem maior do que ele mesmo, como Yoko para Lennon.

    Esta para Faio:

    Gostaria de pedir alguns conselhos – embora vc mesmo já tenha dito que este espaço é mais para troca de opiniões – sobre bons livros que deveria ler para me dar uma boa base literária, e, quem sabe, possa me tornar aspirante-a-quase-escritor….

    Volte ao meu blog, ok?

    Abraços,
    Pê Sousa, de Juazeiro

  5. Eliane Says:

    Anônimo Veneziano, passei por algo parecido e por experiência própria, ninguém, mas ninguém merece que vivamos em “compasso de espera”. O coração é traiçoeiro e o amor, na verdade seria mais a paixão, faz com que percamos o juízo, acabamos nos submetendo a coisas que chegam a ser absurdas… Não é fácil nos livrar de um amor “vício”, mas também não é impossivel… Tem tantas mulheres a procura de um homem assim como você, que está disposto a viver um amor, que com certeza lhe dará muito mais do que essa “fulana”…
    Ame-se em primeiro lugar para depois amar alguém, isso parece meio egoísta, mas evita entrarmos em situações como esta!
    Beijos querido, boa sorte!!!

  6. taisanto Says:

    É Anônimo Veneziano, a vida é complicada… ou nós que a complicamos? Acho que as duas alternativas estão corretas!!!
    Tenho algo a dizer pra você. Esqueça essa mulher! Desculpe, mas eu tenho que ser sincera. Ela não quer nada com você, se quisesse já teria corrido atrás, pode ter certeza.
    As mulheres não gostam de homens que, a princípio, nos dão mundo e fundos. Pelo menos eu sou dessas. Odeio homens que querem me dar tudo que eu não pedi…céus, Terra, montanhas, praia, mar, TUDO! Primeiro eu tenho que consquistar, tem que haver uma luta para conseguir o meu objeto de desejo.
    Eu estou passando pela mesma situação, mas ao contrário. O menino gosta de mim há mais de 1 ano, mas eu não o quero. Porém ele não se relaciona com ninguém. E um caso engraçado nessa última semana (ele faz a mesma faculdade que eu). Ele ia ficar, sair, pegar uma garota, e quando ele me viu se distanciou dela. Tadinho, eu queria que ele a pegasse mesmo, pra parar de ficar no meu pé. Mas não foi dessa vez!
    É isso Venê ( se é que posso te chamar assim). Contei um pouco da minha história, pra ver se você desencana dessa moça aí que só vai te fazer sofrer.
    Use a racionalização ( eu sou muito mais do que ela merece) e bola pra frente porque ficar estático, não rola!!!!

    Beijos!!

    Como disse a Eliane, Levante a sua auto-estima e Ame-se em primeiro lugar!!!

  7. Nicky-san Says:

    Todo homem deveria ter um pouquinho (doses homeopáticas!!!! Mas tem… Fato.) de Cafa.

    Seja um pouco Cafa com ela. Se ela não gostar (pausa pra eu rir, porque eu duvido que ela não goste…………), aí vc parte pra outra sem piedade!

    Auto-estima, sim! Baixo-estima, não!

    =)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: