“Mocinha, eu gostava de homens maduros. Madura, gosto de mocinhos”


Mais uma carta que, autorizado, trago para a comunidade. Curiosamente, veio de Lisboa, onde soube que tenho ao menos uma leitora. Fiz leves adaptações para trazer o português de Portugal ao nosso, para evitar que o humor involuntário reduzisse o drama do relato:

Sou uma Mulher Cougar, pelo que vi em seu blog. Vou facilitar: MC. Tenho 53 anos, e meu marido, artista plástico, 65.  Não temos filhos porque jamais quisemos. Nossa parceria, entendemos assim, poderia se complicar com um terceiro elo. Sou jornalista e amo meu marido, ao lado de quem quero morrer. Mas sexo só faço com jovens; meu marido não demonstra interesse, o que é natural em sua idade. Prefere o pincel, a arte, coisas da mente. E a mim, para ser franca, me agrada sua intensa apatia sexual. Conversamos bem, fazemos companhia um ao outro, sabemos que na doença e na dificuldade poderemos contar com alguém, incondicionalmente. Rimos mesmo de piadas sem graça que um conta ao outro. Também nos une o amor ao xadrez, o suspense dos movimentos das peças de marfim no tabuleiro de jacarandá, a excitação trêmula de um xeque-mate.

Mas tenho ainda, e acho que morrerei assim, uma chama erótica diabólica, se me permite a rima pobre. Meu corpo treme, minhas partes íntimas ficam úmidas como um lenço de papel entregue num avião da TAP, quando vejo um corpo bonito de homem jovem. Sou bela, modéstia à parte, traços fortes e cabelos loiros, e o dinheiro que a carreira de sucesso me trouxe me permite os cremes, xampus, lingeries e demais coisas que atenuam o que há de ruim no corpo e acentuam o que há de bom.  Dizem que sou a sósia portuguesa da Maddona. Ninguém me dá mais que 43 anos, fruto de uma dieta saudável e sessões disciplinadas na academia de ginástica de meu clube. Meus cartões de crédito oferecem a possibilidade de hotéis, restaurantes, viagens de primeira categoria.

Não me é difícil, assim, encontrar homens jovens que saciem minha curiosidade sexual. Quem não gosta da vida boa, e ao lado de uma mulher atraente, ainda que madura? Lisboa hoje é cosmopolita, européia, ao contrário da cidade triste e preconceituosa em que nasci e cresci, na qual uma MC poderia ser apedrejada em praça pública. Isso facilita minha vida e a de outras MCs lisboetas.

Os ingleses usam uma expressão para citar uma grande mudança: u turn. Uma volta completa. É o que aconteceu comigo, Fabio. Mocinha, gostava de homens maduros. Madura, gosto de mocinhos. Isso me ensinou a não acreditar em verdades absolutas porque tudo está em transformação, a começar por nós mesmos.

Jamais deixaria meu marido por nenhum dos homens jovens com quem saio. Cem deles, alinhados entusiasmadamente como num exército de homens-bomba numa selva afegã, não valem o meu marido. Extraio deles o gozo físico, o prazer da carne, os gemidos que alcançam às vezes as alturas everestianas de um fado cantado por Amália Rodrigues. Mas é só. Em troca, dou a eles os bens materiais que citei acima. Troco-os com a tranquilidade com que troco peões no xadrez; e a verdade é que nenhum deles cometeu suicídio ao ser deixado por mim.

É um negócio, e não penso que exista pecado em barganhas transparentes entre homens e mulheres. Sei o que quero, e eles também.

Se sinto remorso em relação a meu marido? Não. Dou a ele tudo que ele deseja de mim: afeto, carinho, suporte, a certeza de que alguém empurrará sua cadeira de rodas se o pior acontecer, e as partidas de xadrez. Somos, esqueci de dizer, leitores obsessivos de Camilo Castello Branco, que você com certeza conhece. [Do autor: mesmo ao risco de decepcionar minha leitora lisboeta, confesso que não.] Meu marido adora que eu leia em voz alta, na cama, trechos de Camilo, em meio aos quais dorme como um puto. [Foi a única palavra que deixei. Não sabia que significava, no português de Portugal, garoto, menino, e imaginei que outros leitores também pudessem desconhecer.]

É justo que, dando tantas coisas a ele, eu me permita também algumas.

Se vier um dia a Lisboa, me avise, por favor. Gosta de camarão? [Gambrinos, no original.] Os melhores restaurantes de camarões estão em Lisboa. Se jogar xadrez, está desafiado! [Só dama.]

E assim terminou o relato da MC lisboeta. É uma jornalista que sabe mexer com as palavras, e que faz cálculos meticulosos em sua vida matrimonial e sexual. É uma adúltera alegre, sem culpa, uma Messalina inocente que enriquece com braços e pernas abertos a crônica erótica da Lisboa contemporânea, uma mulher que colhe o êxtase do corpo fora do lar e o êxtase da alma dentro.

Conhece a si mesma, nas forças e nas fraquezas.

Não, não a condeno. Mesmo o marido, feitas as contas, me parece ganhar muito mais do que perde na relação com sua MC.

Ou estou sendo muito bonzinho?

Etiquetas: , , , ,

22 Respostas to ““Mocinha, eu gostava de homens maduros. Madura, gosto de mocinhos””

  1. Skel Says:

    Adoro seus textos homem barato! rs…

  2. Uila Gabriela Says:

    E pq alguém haveria de condenar essa mulher bem resolvida? Surpreendentemente portuguesa, já que Portugal – ainda que um país europeu – mantêm uma mentalidade conservadora, pelo menos sua grande maioria.
    Mas fico feliz em ver uma portuguesa tão bem resolvida consigo mesma, e acho que essa mudança de menina gostar de maduros, e madura gostar de meninos é uma mudança natural em mulheres interessantes 😉

    Beijo
    :*

    • Fabio Hernandez Says:

      Já tem planos, Uila Gabriela?

      • Uila Gabriela Says:

        Rsrs…não, meu querido Fábio Hernandez, não tenho planos tão claros.
        Mas é bem possível que eles apareçam, quer me ajudar a traçá-los?

        :*

      • Fabio Hernandez Says:

        O acaso é o mais eficiente planejador, Uila Gabriela.

      • Uila Gabriela Says:

        E pela enésima vez concordo plenamente com vc…mas sonhar um pouquinho é bem interessante, me arranca sorrisos 😉

  3. Renata Says:

    quero chegar aos 50 como ela!!!! Palmas…. eu nunca achei que fosse uma exclusividade minha gostar dos bebês…. mas percebo que o assunto está amplamente divulgado!

    Se quiserem ler umas histórias sobre isso entrem no meu blog: http://cacommeusbotoess.blogspot.com/

    desculpem pela propaganda, mas só o fiz pois o tema existe em abundancia em meus textos e na minha vida! hahahahha beijo!

    • Fabio Hernandez Says:

      Renata, vc faria uma bela dupla com a MC de Lisboa. Gostei de um post do qual copiei e colo agora um trecho pro pessoal conhecer.

      Ele, um modelo de vinte anos, era uma dessas maravilhas que a natureza cria de quando em quando, uma beleza pincelada a mão, pele de pêssego corpo tão perfeito quanto suas feições e um cabelo sedoso e macio. Além dessas qualidades físicas o jovem era dotado de uma simpatia natural e coração aberto, um sorriso desses que desarmam qualquer coração de pedra. Ela uma mulher normal mais velha que ele, nem muito feia nem muito bonita, mas tinha seus encantos. Eduardo e Mônica. Encontraram-se num acaso desses de multidões de pessoas e ela encantada com a beleza do jovem parou para elogiá-lo, dali em diante viveram uma história interessante de encontros e desencontros. Obviamente o interesse de ambos era muito mais sexual do que sentimental, mas foi inevitável que eles se envolvessem. As diferenças eram muitas e um relacionamento não era possível naquele momento. Ela quando percebia sentimento, afastava-se pra evitar envolvimento, ele aceitava o tempo que era preciso.

  4. Re Says:

    Faz todo o sentido o que ela fala a respeito de ter um companheiro, uma pessoa com quem contar durante a vida e é natural também procurar alguém que satisfaça seus desejos já que o seu marido não faz isso.
    Mas hoje tenho uma visão mais ‘quadrada’ (como diria minha mãe) a respeito disso.
    Respeito e não critico quem faz, mas não é uma coisa que acho legal, nem que eu queria para mim.
    Tenho esperança de viver o felizes para sempre embora já esteja apagado e desacreditado. E como estou disposta a isso não vejo porque não dar certo. Só é preciso encontrar alguem com os mesmos objetivos.
    Se um dia eu chegar nesse ponto em que ela está, provavelmente ficarei solteira e disponivel no mercado. Não suportaria levar dentro de mim o peso do que ela faz, e que parece ser bem leve para ela.
    (sem julgamentos, desculpe pelo tom… é só o que parece para mim)

    beijo!

    • Fabio Hernandez Says:

      Tomara que vc encontre seu “Dois-em-Um”, Re …

      • Re Says:

        já encontrei 😉

        se vai ser duradouro é outro problema.
        Mas uma coisa em depois da outra…
        Vivamos o agora!

        besos

  5. Nicky-san Says:

    Preciso confessar que ainda não sei o que pensar.
    Senti a mesma coisa quando li o livro que citei logo abaixo.

    Tenho mania de contos de fada e finais felizes, então, por um lado, acho isso triste.

    Por outro lado, tenho plena consciência de que a gente vive no mundo de verdade, e também sei que não gosto de pessoas hipócritas, logo, eu admiro essa lisboeta pela convicção e honestidade – e a grande lição de, ao modo dela, maturidade.

    Você não leu o Castello Branco, fabio, mas aposto que conhece D.H. Lawrence.
    Estou diante da própria Lady Chatterley!

    Pensar é fácil, ainda não sei o que sentir.

    Pode ser que um dia, daqui alguns (muitos) anos, eu entenda, mas por agora, vou me recolher à minha insignificância…

    • Fabio Hernandez Says:

      Lawrence conheço, sim.
      E a MCL (Mulher-Cougar-Lisboense) me avisou, por email, que devo ler Amor de Perdição e Amor de Salvação, dois romances “esseciais”, disse ela, do Camilo Castelo Branco.
      Compartilho a recomendação com vcs. Lerei ambos. Bjs
      Fabio

      • Re Says:

        Gostei!

        Lerei também.
        Vou procurar o citado pela Nick too…

        até pessoas!

  6. Nicky-san Says:

    Como Machado de Assis, é daqueles clássicos que mandam a gente ler no colégio e a gente não entende… Achamos chato, pegamos o resumo e tiramos 10 na prova sem ter aproveitado uma só página…

    Posso reforçar a recomendação? 😀
    Vale a pena mesmo!

    Bises…

  7. Nicky-san Says:

    Correção:
    Acho que me lembrei da Lady Chaterlley mais por causa das circunstâncias da fábula.

    (Que tal chamá-la de “Senhora J”, já que é Jornalista? Voilà, temos mais um capítulo praquele livro. Mas continuando…)

    Acho que a senhora J. tem a audácia da Aurélia Camargo…
    Talvez uma Emma Bovary sem o deslumbramento efêmero dos fairy tales…
    Um quê de Castro Alves – que não morreu adolescente e conseguiu levar sua essência pro realismo português, escandalizando-o…

    Enfim…
    Acho que ando lendo demais.

  8. Grace Olsson Says:

    Fábio,q uerido,.

    Nao a condeno.E já foi-se o tempo em que, para se ter o bem bom de momentos calientes, tivéssemos que romper os lacos do matrimonio.E o que é melhor….SEM CULPAS…
    BJS E DIASF ELZIES

  9. taisanto Says:

    Nossa, adorei essa mulher. Não acho que vc, Fabio, esteja sendo bonzinho em não condená-la, então eu também estaria sendo…rsrs
    Gostei dela, sabe? da sua sinceridade, desse companheirismo com o marido, apesar dela se relacionar com outros homens.
    Ela me lembrou um homem que eu conheci, amigo mesmo, com seus 40 e poucos anos. Me disse que tinha alguns casos extra conjugais, mas não se sentia culpado, pois ele dava tudo pra mulher em casa, nunca deixava faltar nada. E eu penso, porque o homem pode fazer e a mulher também não?
    Claro, não estou levantando a bandeira do feminismo aqui, nem tampouco quero dizer que temos que fazer todas as coisas que os homens fazem.
    Mas, essa mulher é incrível, e o melhor que ela sabe que tudo é uma questão de troca. Ela tem o sexo dos jovens e eles tem os seus “presentes”, uma relação casual.

    E esse contraposição, quando mocinha gostava de maduros e agora madura gosta de mocinhos. Eu, na fase que encontro, prefiro os maduros, daqui a alguns anos… já não sei mais.

  10. taisanto Says:

    Correção
    Em vez de esse contraposição é essa, ok?
    E ressaltar do seu companheirismo com o marido, que em um certo ponto ela é fiel. Sabe que quando ele precisar ela estará ao seu lado sempre.

  11. bruninha Says:

    eu sou linda sou bem feita e linda de corpo e de resto tambem tenho os olhos verde cabelos de menhas

  12. bruninha Says:

    euuuuuuuuuuuuuuuuuuu souuuuuuuuuuuuuuuuuuuu lida quei quer mim conhecer so entra no meu orkut e bruna_pereira1939 so homens

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: