O Manual da Cafa


Não raro os comentários são melhores que o texto do qual nasceram. Aconteceu agora neste blog. A história da Senhorita Y, a garota que se entregou a um homem na primeira vez em que saíram e depois foi objeto de desprezo, gerou uma discussão, no meu entender, extraordinária. Decidi trazer para cá, para a vitrine, um comentário particularmente intrigante, assinado apenas por R. Pelo teor, é compreensível que ela prefira não ser identificada. R diz ser executiva de uma empresa em algumas de cujas reuniões aparece sem nada sob seu tailleur de griffe, apenas para se divertir um pouco entre infindáveis slides de powerpoint.

R se definiu como uma Cafa Fêmea, em contrapartida ao homem que possuiu cedo e largou também cedo a Senhorita Y.  Tanta repulsa provocou a frieza daquele homem que alguém chegou a qualificá-lo como Mona. Não descarto a hipótese, francamente, e não estou dizendo isso em represália ao fato de minha mãe ter sido insultada por ele. É que tanto desprezo por mulheres pode esconder, conforme li numa biografia de Jung, um ódio enorme de si próprio e sua condição de homossexual escondido. Terá sido a Senhorita Y vítima não de um homem bruto mas de alguém que não aceita a si mesmo no campo do sexo? Ou simplesmente, como foi colocado com alguma corrosão, um Mona inconformado?

Não sei. Talvez nunca saibamos.

O que fiquei sabendo, na rica discussão que está sendo travada, é que existe a Cafa Mulher. Ela se auto-descreveu detalhadamente. Copiei-o e colo-o agora para que seja lido por mais gente. Aos leitores homens, o auto-retrato sucinto e desconcertantemente franco de R pode servir de alerta para que evitem mulheres interessadas apenas em usá-los e descartá-los. Às mulheres, pode ser uma forma de verificar em que grau podem, ou não, ter sintomas da Mulher Cafa.

Não simpatizo com gente como R, confesso, mas admirei o candor, ou cara de pau, ou cinismo, com que ela se referiu ao próprio futuro. Disse que, quando estiver velha e já não atrair homens e nem desejá-los, se tornará “monja budista” e fará palestras de auto-ajuda com as quais imagina que garantirá uma velhice luxuosa. Outras mulheres fazem isso, segundo ela. Não quero discutir assuntos religiosos neste fórum, e tenho vários amigos budistas ou semibudistas que talvez esbofeteassem a Cafa Mulher por essas palavras profanadores. Enfim, vamos à descrição que R fez dela mesma:

Minhas características:
1) Dou e descarto sem piedade;
2) Só vou para a segunda vez com o mesmo cara se ele foi ma-ra-vi-lho-so
me comendo. Se pensei na minha maquiagem durante o sexo, nevermore;
3) Um jantar antes num restaurante que eu escolho é essencial. A conta é dele, evidentemente.
4) Detecto Cafa Masculino no ato. Sem chance. Cafa com Cafa num dá.
5) Na empresa, em que sou gerente de marketing aos 27 anos, me visto e ajo como se fosse uma uorcarrólica virgem. De vez em quando, para me divertir, estou sem calcinha sob meu tailleur de griffe numa reunião com diretores chatos e velhos como uma ópera nas quais a língua falada é o inglês caipira de Arkansas.
6) Jamais saio com chefe, colega e muito menos subordinado.
7) Tenho um vibrador, nickname Brad, para preservar a auto-suficiência, um item vital para a Cafa Fêmea.
8) Se sinto que estou me apaixonando, desapareço por mais que doa. Sei que estou me livrando de uma dor ainda maior no futuro.
9) Tenho o maior desprezo pelo amor romântico.
10) Não chamo nunca o cara pelo nome para não cometer erros desnecessários.
11) Brochou? Sem segunda chance. E ainda leva uma gargalhada como recompensa.

Não sei se rio ou se choro. Certo é que não quero cruzar com R ou nenhuma outra Cafa Mulher. Tio Fabio, um falecido homem sábio do interior, dizia que muitas vezes a melhor companhia de alguém é a completa solidão.  Neste caso, é verdade absoluta.


61 Respostas to “O Manual da Cafa”

  1. Daniel Chicote Says:

    Fábio, como já disse milhares de vezes. Sou seu fã. Ótimo texto! Mais uma vez.

    Todos nós, eu acredito, posso dizer por mim … já fomos vítimas de uma mulher assim. Elas também sabem jogar, e muito bem. Foi como falei nos post anteriores a esses, naquela discussão do seu outro tópico, elas existem e estão por ai. A solta. Na espreita.

    Mas quem está errado? Nós que algumas vezes agimos como cafas? Ou ela que assume isso?

    Com certeza todo – ou quase todo – homem já foi vítima e se sentiu quebrado por causa de uma Cafa.

    O que Tio Fábio quer dizer é que “Antes só do que mal acompanhado”, correto?

    Abraços a todos.

    • Gleicy Says:

      Nos mulheres só estamos dando o troco em vcs…vcs nos ensinaram nao concordo com tudo q a R diz mais com cafas idiotas devemos agir assim… bjs!

  2. Eliane Says:

    Não defendendo a R, (até pq penso muito diferente dela), mas ela faz apenas o que a grande, e bem grande por sinal, maioria dos homens fazem!!! É bom ter mulheres como ela, assim os homens podem provar do seu próprio veneno!!!
    Não apoio os cafas, sejam homens ou mulheres, mas pessoas como a R podem fazer com que alguns abram os olhos e dêem valor a quem merece…
    Espero não ter ofendido ninguém, é apenas minha humilde opinião…

    • Alice Barros Says:

      E eu concordo plenamente! Conheço algumas cafa fêmeas… Geralmente elas se tornam cafa depois de uma experiência “traumática” com um cafa macho. Não é da natureza da mulher ser cafa, geralmente ela é instigada a tal condição…
      Acho bom saber que existem mulheres como a R que revidam na mesma moeda o que os cafa macho fazem. Pena que ela evita o relacionamento com os “cafa”, pq aí seria perfeitoooo! kkkkk

      • Eliane Says:

        Alice seria perfeito mesmo, os cafas ficariam juntos e sobrariam as pessoas “normais” para nós… hahaha

  3. Oculta Says:

    É, Fábio..o que tem de louco nesse mundo não tá escrito. Essa mulher tem, no mínimo..algum transtorno de personalidade. Quanto mais vc divulgar esse tipo de ato, sejam eles de homens ou mulheres, melhor será para nós, que ainda amam e gostam de se apaixonar.
    Ótimo texto, bela atitude! Bjs.

  4. Fran Says:

    Concordo com a leitora aí em cima! Será que ao chamar R e seus equivalentes masculinos de cafa macho/fêmea não estamos banalizando um pouco a coisa? Tô começando a achar esse “relacionar-se com o Outro como objeto” – colando um jargão psicanalítico – um comportamento que leva a um sofrimento considerável demais para ser aceito tão sem mais questionamentos (especialmente pela “vítima” né?).

    Quem aí tiver vontade (e paciência) de pegar um compêndio de psicopatologia, vai achar a descrição – nos detalhes – desse anônimo (é, eu li a história…) e até do que a R colocou para a gente.

    Temos que ficar atentos, senão caímos bonito nessa e deixamos de valorizar aqueles que se importam com o sentimento (o que dá muito mais trabalho…)

    Perdãao o discurso hehe…kss!

  5. Gustavo Says:

    Eu acabei me surpreendendo muito com o relato de R.
    Ela parece um homem frio e calculista, na forma feminina.
    Acredito,como a Alice disse que ela tenha sido traumatizada por algum verdadeiro cafa e,após isso,tenha revelado seu lado mais desapegado com a vida e com seus amores…
    Ela me deixou muito intrigado,será que ela não é aquela mulher que eu acho que é beeeem santinha sentada aqui pertinho de mim,na minha empresa???
    hahahaha,ela me deixou com outro olhar sobre algumas mulheres hoje,desde a hora que entrei no meu trabalho,fiquei muito pensativo com o depoimento por ela prestado…
    (tomara que seja só hoje).
    Eu acredito que vai chegar um dia em que ela cansará de usar os outros e vai se apaixonar de verdade por alguém…
    Uma das coisas mais bonitas nessa vida é o nosso amor,que consegue sair de dentro de nós e adentrar outros corações…
    -Quase todos algum dia vão ser vítimas de cafas (homens ou fêmeas),eles estão por toda a parte e são milhares,a questão é o quanto você vai aprender depois de sua experiência com eles e o que você vai levar disso…
    Sábio Tio Fábio.

    • Eliane Says:

      Belas palavras Gustavo: “Quase todos algum dia vão ser vítimas de cafas (homens ou fêmeas),eles estão por toda a parte e são milhares,a questão é o quanto você vai aprender depois de sua experiência com eles e o que você vai levar disso…”
      Preciso de uma esperança, existem milhares de homens sem ser cafas também???
      Ah e só uma dica, quando estiver em uma reunião na empresa, não vai querer ver se alguma mulher está, digamos, sem a peça intima, para saber se tal pessoa é a Senhorita Cafa, ou “R”.
      Beijos

  6. Fran Says:

    Não sei se acredito nisso Gustavo…para amar vc tem que ter capacidade para tal…

    • Gustavo Says:

      mas eu acho que mesmo os cafas e as cafas aprendem,por pior alunos que sejam…
      Um dia bate na cabeça deles o que o Vinícius de Moraes já dizia alguns tempos atrás,bebericando o seu bom e velho whisky…
      “Quem já pssou por essa vida e não viveu,pode ser mais mas sabe menos do que eu. Porque a vida só se dá pra quem se deu,pra quem chorou pra quem sorriu pra quem viveu…”

  7. Gustavo Says:

    hahahahahahahahahhahahahhahaha,vou te falar que vontade não vai faltar!
    Eu acho,Eliane,que existem mais homens não cafas do que cafas nesse mundo…

  8. Eliane Says:

    Então kd????

    • Gustavo Says:

      Só andam aparecendo cafas em sua vida é?
      Eu aposto que tem muita gente boa do seu lado,que você nem tem idéia do quanto pode te fazer bem…

      • Eliane Says:

        poxa, gostei! Preciso me focar mais mesmo nas pessoas que me fazem bem e esquecer das que não merecem… Fora cafas hahaha

      • Alice Barros Says:

        Eu concordooo!!! Existem alguns caras que não são cafas, mas o problema é descobrir quem é ou não! =S
        Bjuu

  9. R Says:

    Não. Não sou eu, Gustavo, a mulher sentada com cara de santinha em sua empresa, de tailleur executivo, só que com a xana de fora, cheirosa e pronta para ser utilizada. Se fosse eu já tinha te pegado, se vc é um cara interessante e pode me proporcionar algum prazer por algum tempo.

    Vocês estão me condenando, me dando lições de moral, como já deram ao Cafa. Nem mesmo as mulheres me entendem, salvo uma ou outra menos ingênua, menos bobinha.

    Só peço que se lembrem: na vida ou você caça ou é caçado.
    Eu caço.

    R

    • Gustavo Says:

      Eu não estou te condenando,R.
      Só disse que me passou hoje pela minha cabeça,ingênua,as palavras que você me disse!
      Não quero tentar te dar lição de moral,acontece que alguns de nós pensamos de um jeito e outros de outro…
      Não vai adiantar eu te condenar,não vai adiantar você falar que vai continuar usando a galera…
      Eu vou continuar sendo assim,você continuará assim…
      Talvez um dia você mude,talvez um dia eu mude…
      Quem tem regras?

      (Desculpe-me pela tonalidade das palavras,parece que eu me dirigi a você com um ar de sátira,não queria isso,ok?)

  10. Oculto Says:

    R está certa.
    Sou Cafa Macho Grau Máximo, pior ainda que o Anônimo que levou no beiço a Senhorita Y. (Bem que eu gostaria de “confortar” vc, Senhorita Y. Ou simplesmente finalizar, porque já percebi que vc gosta de Cafas embora finja não gostar.)
    Ou você caça ou é caçado.
    Eu também caço.

    Oculto

    • Eliane Says:

      Oculto, nunca teve uma mulher que você teve vontade de namorar, tê-la sempre ao seu lado? Você age assim porque? Não encontrou a mulher que despertasse “amor” em você ou simplesmente não se importa com os sentimentos alheios e sim apenas com o seu prazer??? Sabe, se me dissessem que fazem isso as vezes eu acreditaria, mas ser assim sempre???

    • Fabio Hernandez Says:

      Vc é muito pretensioso, Oculto. Um pouco mais de humildade não faria mal a você.
      A Senhorita R é Cafa Grau Ultramáximo, mas pelo menos não é arrogante como vc.
      Desculpe a sinceridade, mas se minha irmã aparecesse com um Cafa como vc em casa, punha minha faixa preta de kungfu e dava umas voadoras nos dois.

      Fabio

  11. Eliane Says:

    R, não se sinta condenada não… É como eu já disse cada um tem o direito de fazer o que bem quiser…
    Eu te entendo sim, se você se sente bem sendo assim ótimo, deve poupar muito sofrimento… Devo ser ingênua bobinha sim, pq realmente não sou do tipo que usa as pessoas… mas essa é minha opção! Não trato isso como “caçar ou ser caçado”… Ao seu ver posso ser uma pessoa “caçada”, mas que pelo menos eu seja “caçada” por alguém que valha a pena!!!
    Na boa, não é nada pessoal!!!
    Beijos e que vc seja feliz nas suas escolhas!!!

  12. Monique Buzatto Says:

    Lembrei tanto de “Welcome to the jungle, we’ve got fun and games…” quando li “na vida ou você caça ou é caçado.”
    Combinou com o “na vida, ou você procura ou é procurado.”

    Aí pensei… o Cafa é executivo… a Cafa é executiva…
    Será que essas pessoas com empregos explêndidos (tem muito mais deles por aí) encaram TUDO na vida como business?

    Tá, sexo bemmm feito é bom, mas e aí?

    Sabe quando você se dedica à sua bela carreira “de corpo e alma”?

    Isso é sexo só de corpo, cadê a alma? No seu iPhone? No seu Cïtroen C5? Podem me achar ridícula, mas é sério, morro de pena desse tipo de pesoas…

    Fazer sexo só de corpo deve ser tão bom quanto resumir Hamlet desse jeito: Era um menino confuso… perdeu a mina, tretou com o tio maluco e morreu envenenado. oO
    Ou tão bom quanto café descafeinado.
    Ou cerveja sem álcool.

    Enfim…

    Quem caça, chega em casa e vê os troféus na parede.
    Quem vive, chega em casa e tem paz.
    Uma competiçãozinha, às vezes, é saudável, mas não o tempo todo.

    Minha sugestão a todos esses executivos é virarem todos sócios num Barramas da vida. Vão unir o útil ao agradável. Pelo menos vão encontrar algo em que trabalhar de corpo e alma.

    (Daniel? Fábio? Concordam comigo? rs)

  13. Um cara normal Says:

    Ela acha que sua independencia é proporcional ao abrir de suas pernas …..
    vai intende

  14. Fran Says:

    Acho que estamos confundindo pessoas-que-se-magoaram-e-resolveram-levar-vida-de-cafa com…Cafas. Encaro Cafas como uma outra espécie, por assim dizer. Intimamente estou com a Monique, foi perfeito o que ela escreveu aí em cima. Mas não acho que Cafas se interessem por sentimentos de tonalidade mais sutil como o amor. Acho que precisam de emoções mais fortes, como a caçada sexual ou da escalada social/profissional. Por isso que se saem bem no mundo do business e sabem ser sedutores. Porque precisam disso.

    É algo que está além do julgamento. Pessoalmente acho a vida de Cafa dura, e a tolerância a frustração costuma ser pequena, o que torna tudo ainda mais difícil.

    O importante é que quem não é Cafa tem que acordar pra isso e não entrar na história de “comigo-será-diferente” ou “ele/a-só-precisa-se-apaixonar-pra-mudar”. Se você quer amor, procure quem ama.

  15. R Says:

    Você não sabe o quanto a vida de Cafa é boa, Fran. (Fran de Francisca? Gosto do nome. Diferente, forte. Uma prima minha chama Francisca e é tão bonita e feminina que já pensei em colocar no meu plantel mesmo sendo incesto. Hahaha.)
    Sabe aquele tempo que você, a Monike, a Eliane gastam em lágrimas, aflições e pensamentos torturantes que levam a noites em que você se mexe acordada na cama e ao Rivotril?
    Os CRs, Cafas Reais, enquanto isso estão rindo, de bem com o mundo e com a vida, gozando em vez de ir ao psiquiatra, dormindo um sono de bebê.
    E caçando.
    Ou fi-na-li-zan-do. Gostei dessa palavra. Quem disse que só homem finaliza? Acordem mulheres.

    R

    • Monique Buzatto Says:

      Só pra eu entender…
      A gente não se importa em ter alguém que aumenta nossa endorfina na T.P.M., que diz que somos lindas, que gostam de nos fazer rir, gostam de nos deixar bravas (…porque vc bravinha fica tão linda…) e nós é que temos que acordar?

      Há!

      Me desculpa, querida, mas não acho que a minha vida é infeliz só pq eu não sou finalizada por uns babacas que não se importam com o meu bem estar.
      (Confesso que não achei a palavra de todo mal, só não gostei desse contexto.)

      As noites que passamos chorando são as noites em que aprendemos que a vida é dura, que nem sempre a gente ganha e que pra ser feliz é preciso correr riscos. Dá pra aplicar esses conhecimentos às nossas carreiras, também.

      Não me arrependo de uma lagriminha que já chorei até hoje,
      elas foram muito mais eficientes do que esse pseudo-hedonismo que vocês, Cafas, tentam espalhar por aí…

    • Eliane Says:

      Como diria minha tia usando a música do rei: “Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi” (Não são as palavras do sábio tio Fábio, mas já é alguma coisa… rs)
      A Monique disse tudo… até pensei em complementar com mais algumas palavras, mas não adiantaria… Pessoas como descreveu a R, como CAFAS REAIS (existem cafas irreais???), não entendem essa questão do amor, envolver-se, dar e receber… Tudo é visto como meros objetos, acho que até eles mesmo se consideram assim… Então seria como explicar sentimentos para uma cadeira ou qualquer outra coisa do tipo…
      E.

  16. Christina L Says:

    Um minuto, por favor!
    Preconceito contra executivos e executivas é um absurdo.
    Sou diretora de uma montadora européia, casada com um advogado de um dos principais escritórios de advocacia do mundo, dois filhos lindos, e posso dizer que não sou Cafa e nunca encontrei Cafas entre minhas amigas executivas, muitas delas interesseiras, é verdade, mas isso é outra história.
    Nós executivas pagamos um alto preço pelas reuniões chatíssimas que somos obrigadas a presenciar e pelas jornadas que muitas vezes nos deixam longe dos filhos por dois ou três dias.
    Não podemos ser, além disso, discriminadas por um comportamento sexual que não temos, classificado aqui como Cafa. Eu sinceramente gostaria de um pedido de desculpas.

    Muito obrigada

    CL

    • Fabio Hernandez Says:

      Pensava que já sabia tudo sobre Cafa até ler a história de um cara em Ohio que começou a mexer no peito da enfermeira que estava ajudando a mulher dele no trabalho de parto. A enfermeira deu queixa na hora. O cara foi preso e não viu nascer o filho. CEL, Cafa Extralarge, esse americano. Tanto nosso Cafa Macho qto nossa Cafa Fêmea me parecem agora fichinhas. Ou será que eles fariam algo parecido???
      PS- A mulher defendeu o cara. Disse que ele não sabia o que estava fazendo por estar bêbado …

    • Fran Says:

      Christina, como a Rebeca disse, não tem como ter “preconceito” contra executivos. A classe é enorme e abrange várias formações profissionais diferentes. O que não dizer de pessoas e comportamentos! Imagino que você esteja se referindo aos altos executivos, mas embora seja um grupo mais seleto, acho que o mesmo conceito de diversidade se aplica. Quanto aos Cafas, que é o assunto, foi dito que muitos são executivos, e não que muitos executivos são Cafas.
      Kss!

  17. Rebeca Says:

    Chris (será que posso te chamar assim??)…
    Não acho que você deva se sentir mal quando falam aqui de executivos. Calhou que os ‘Cafas’ são, e então ficou tudo girando em torno disso. Não podemos generalizar! Existem pessoas que querem se apaixonar e dispostas a isso em todos os lugares, assim como existem Cafas como nossa amiga de plantão aqui… rs

    Agora, Fabio… esse cara trêbado (pq bêbado era pouco…) foi um absurdo.Não consigo pensar numa pessoa que faz isso durante o parto da esposa!! Será que isso é Cafa, ou tem sérios problemas mentais?

    Tenho dúvidas de verdade quanto ao uso do termo Cafa para ele… a R é Cafa, como o Oculto. Ambos livres, desempedidos, que não fazem questão de se apaixonarem. Para eles pessoas são descartáveis…
    Se esse cara for Cafa… ele está no lugar errado, na hora errada, fazendo a coisa errada. e PS-> Pai de familia…

    Pais de familias se enquadram no jeito Cafa de ser??

  18. Beatriz Says:

    não apoio a cafa fêmea. mas a respeito. cada um escolhe o q quer. dar o q quer.principalmente quando é dono daquilo q dá. não faria o mesmo. apesar de ruins , alguns homens podem ser descartáveis, mas eu não sou. essa é a parte q não apoio da cafa fêmea. ir com qualquer um. quem enxerga qualquer um nos outros enxerga qualquer um em si tb. beijos fábio.amo seu blog. mesmo. beijo.

  19. M.Farina Says:

    Nunca comentei no blog, que acompanho fielmente (Fabio Hernandez, não deixe de falar sobre livros que te impressionaram, tuas crônicas freqüentemente orientam minhas compras literárias) mas o tema é tão polêmico que não pude resistir a dizer algumas palavras.

    Primeiramente, é preciso reconhecer que as formas de encarar relacionamentos amorosos são tão variadas que sua discussão é tão velha quanto o mundo. O tema é tão complexo porque cada pessoa acredita ou desacredita no amor segundo sua personalidade e vivência. Nunca haverá um consenso.

    O que me incomoda, apenas, é que esse confronto de perspectivas cause tanto sofrimento em algumas pessoas. Entretanto, não conheço um meio de evitar esses danos.

    De toda forma, não se deve julgar ninguém porque simplesmente não há formas certas ou erradas de se conduzir nos relacionamentos amorosos. Nunca será possível saber que conjunto de experiências leva uma pessoa a agir dessa ou daquela forma.

    Quando lia os comentários lembrei imediatamente de Érico Veríssimo (“permitam-me uma digressão”), segundo quem o verbo julgar deveria ser substituído por compreender, mais cristão. Acho que é isso mesmo, ainda que não se consiga compreender o comportamento alheio.

    Em tempo: resgatei a citação correta do Érico Veríssimo, foi em “Incidente em Antares”, acho que vem bem a calhar:

    “De repente abre-se uma janelinha inesperada numa alma, a gente espia pra dentro, mesmo sem querer, e o que se vê nos surpreende, dando-nos uma visão diferente desse ser. Como se pode julgar (verbo paranóico que deve ser substituído por compreender, mais cristão) um homem só pela fachada da casa de seu ser, ou pelas palavras que ele pronuncia na língua cotidiana e imperfeita dos homens? Lembrei-me de que um velho tropeiro um dia me disse: – Olhe, moço, ninguém é o que parece. Nem Deus.”

  20. M.Farina Says:

    Nunca comentei neste blog que acompanho fielmente, mas o tema é tão polêmico que não pude resistir a dizer algumas palavras.

    Primeiramente, é preciso reconhecer que as formas de encarar relacionamentos amorosos são tão variadas que sua discussão é tão velha quanto o mundo. O tema é tão complexo porque cada pessoa acredita ou desacredita no amor segundo sua personalidade e vivência. Nunca haverá um consenso.
    O que me incomoda, apenas, é que esse confronto de perspectivas cause tanto sofrimento em algumas pessoas. Entretanto, não conheço um meio de evitar esses danos.

    De toda forma, não se deve julgar ninguém porque simplesmente não há formas certas ou erradas de se conduzir nos relacionamentos amorosos. Além disso, nunca será possível saber que conjunto de experiências leva uma pessoa a agir dessa ou daquela forma. Quando lia os comentários lembrei imediatamente de Érico Veríssimo (“permitam-me uma digressão”), segundo quem o verbo julgar deveria ser substituído por compreender, mais cristão. Acho que é isso mesmo, ainda que não se consiga compreender certos comportamentos.

    Em tempo: resgatei a citação correta do Érico Veríssimo, foi em “Incidente em Antares”, acho que vem bem a calhar:

    “De repente abre-se uma janelinha inesperada numa alma, a gente espia pra dentro, mesmo sem querer, e o que se vê nos surpreende, dando-nos uma visão diferente desse ser. Como se pode julgar (verbo paranóico que deve ser substituído por compreender, mais cristão) um homem só pela fachada da casa de seu ser, ou pelas palavras que ele pronuncia na língua cotidiana e imperfeita dos homens? Lembrei-me de que um velho tropeiro um dia me disse: – Olhe, moço, ninguém é o que parece. Nem Deus.”

  21. Fran Says:

    R
    Fran vem de Francis. Diferente né?

    R, acredito que a vida de Cafa deva ser muito boa, senão vcs não se dariam ao trabalho. E entendo sua colocação da inutilidade de se perder noites de sono em dúvidas amorosas, que não dizer do sofrimento que vem com isso!
    Mas esse sentimentalismo é apenas o extremo oposto do que você vive, também existe o meio-termo, que prefere amar sem desespero. São as relações estáveis.

    Mas ainda acho a vida dos Cafas Reais, como vc definiu, dura. Dura pq depende da disponibilidade da caça e da capacidade de obtê-la, algo que vai ficando mais difícil com o passar dos anos. Realmente, nunca vi Cafa jovem precisar de psiquiatra…

  22. Monique Buzatto Says:

    Christina, acho que é de mim que você espera um pedido de desculpas.
    Presumindo que sim…

    Não me desculpo pelo meu comentário.

    Eu costumo trabalhar com executivos AND sei o nome de cada “moça da limpeza” do lugares que frequento…
    Preconceitos ou pré-conceitos não têm muito lugar nas minhas convicções, acho meio infame julgar o caráter de alguém pela posição que ela ocupa.

    Só achei divertido o quanto o Sr. e Sra. Cafa ficam se exibindo…
    Quase um sobrenome, tipo “Oi, meu nome é Monique e eu sou executiva”.

    Todo lugar em que a gente trabalha tem competição e stress, fato! Mas é que, na minha concepção, esse hunting é mais exacerbado nessa carreira coorporativa, por isso que eu falei disso, mas só.

    Foi só um detalhe no meu comentário, não foi algo do tipo “todo o executivo é desse jeito”, ou eu JAMAIS trabalharia para eles.

    Não foi minha intenção ofender ninguém que não mereça,
    e você, aparentemente, é um doce de pessoa.

    Desculpo-me pelo mal-entendido (alguém sabe me dizer se, com a reforma ortográfica, isso perde o hífen????).

    Sem mais,
    M.

    • Rebeca Says:

      =)

      Monique, tem hífen sim!
      Sempre que tiver Mal + palavra. Como exemplo: mal-entendido.

      Bjoo

      • Monique Buzatto Says:

        Obrigada! !!
        É que tem tantas regras (normais) de hífen e tantas coisas que mudaram depois da reforma que fico meio doida!
        Até 2012 eu me acostumo! 😉

        BeijoO,
        M.

  23. Eliane Says:

    Se a questão é FINALIZAR sem ter sentimentos e maiores envolvimentos, espertos são os garotos e garotas de programa, pelo menos eles ganham dinheiro com isso!!!

  24. Ana Says:

    Sempre chego atrasada e perco o alto da discussão.
    Fábio, obrigada pela propagandinha (depois acertamos :D) e também pela citação. Mas não foi uma crítica, muito pelo contrário, seria preciso muita imaginação e contradição para colocar tantos seres complexos para discutir nesse blogue como numa rinha de galo. Mas, afinal és um escritor barato, e a R é muito mais verossímil do que o Cafa não-leitor. Acho que a Monique acerta quando fala na coincidência dos dois serem executivos, e de ter o amor/sexo como mais uma pontuação e competição a ser exercida. Realmente paro e observo: é nesses campos capitalistas de multinacionais onde se estabelece tal disputa mais contra si do que contra outra pessoa.
    Mas parece que o “desrespeito a si”, da Cafa, só fica evidente quando se trata da mulher. assim como coloquei no outro texto, o ponto mais estranho e contraditório do não-leitor finalizador da Senhorita Y é não se considerar um PA. Se bem que a R também, aparentemente, sente-se caçadora e não para(do verbo parar) para (maldita reforma ortográfica) pensar nas vezes em que, talvez, a “caça” se reconheça assim. Em bom português, a R nem sempre se reconhece como BA. Se parasse para pensar nisso, talvez sofresse da mesma contradição do Cafa Não-leitor, tornando ele mais verossímil para mim.

    Acompanharei os próximos capítulos ansiosa, com uma curiosidade latente: o que pensará a Senhorita Y?

    PS:Mesmo assim, desconfio do seu talento, Fábio, e que poderias muito bem tecer tal complexo jogo entre Cafas sem sentimentos e de psicologia mais profunda e confusa do que os relacionamentos que eles (não) mantêm!

  25. Fabio Hernandez Says:

    Caramba, que confusão de Cafas. Estou perdido entre tantos tiros para todos os lados! Não vi ninguém falar do CEL, o Cafa Extra Large, o cara que tentou pegar a enfermeira que estava ajudando a mulher dele no trabalho de parto no hospital.
    Isso não diz nada para vocês, Cafas e Não Cafas do Brasil?

    Fabio

    • Monique Buzatto Says:

      Nem acho que ele está na categoria “Cafa”.
      Eu usaria louco ou pervertido, não saberia dizer.

      A pior parte é que a pobre senhora que deu à luz vai ficar casada com esse cretino.

      Mais um caso de mulher de malandro…
      tsc tsc tsc

    • Rebeca Says:

      hahaha eu respondi sim senhorito!

      mas fico com a Monique. Ele esta mais para um louco…

      beijosss

  26. Alice Barros Says:

    Estou ansiosa pelo próximo texto!!!! O que a mente criativa desse “caro” escritor barato nos reserva? ^^

  27. Fabio Hernandez Says:

    Tava relendo o manual da Cafa. O último tópico: “Brochou? Sem segunda chance!”
    Achei cruel como um cossaco russo isso. Putz, acho que eu teria perdido algumas grandes histórias da minha vida se cruzasse mais com mulheres do seu tipo, Cafa.
    Nos momentos, não muitos, é verdade, em que fraquejei, fui sempre compreendido.
    Imagino que para mulheres Não Cafa deva ser difícil enfrentar a situação de um homem que brocha. Ou não???

    • Monique Buzatto Says:

      Você e seu impagável cossaco russo!

      Só duas coisas são difíceis nesta vida: Mau hálito e erros de português.

      Pra todo o resto, use seu Mastercard!

      M

      • Rebeca Says:

        Nossaaaa Moniquee!!

        mandou muito bem… Mau halito é a TREVAAA!!!

        para não cafas é fácil administrar a ‘fraquejada’ afinal, são varios os motivos que podem causar isso… e também, não é algo que acontece com frequencia… eu acho… rs

      • Monique Buzatto Says:

        Pois é, Rebeca,
        E além do mais, são vários motivos que nos levam a ficar com um cara não cafa, não só “quantas ele aguenta”, haha.

        E outra, se o cara for legal, isso não é o fim do mundo!

  28. Anônimo Says:

    Brochar? Hahaha. Esse verbo não existe para mim. Descarto mulheres sem piedade, e ainda mais rápido se persebo a possibilidade de me apaixonar, mas não falho nunca com elas. Elas não merecem!

  29. Oculta Says:

    Me identifiquei TOTALMENTE com a Cafa Mulher. Sou executiva e não tenho tempo a perder com nhenhenhém. Também me divirto em reuniões de alto escalão em que estou sem calcinha e com um piercing no lábio esquerdo.
    Essas coisas dão sabor à vida corporativa.
    Quanto à lista, tenho a minha própria, gravada no cérebro. Acrescentaria um ponto fundamental: não dizer nunca, jamais, never eu te amo.

  30. Monique Buzatto Says:

    Anônimo,
    Se algum dia você perCeber que brochar é algo que faz parte da vida, vai se frustrar menos…

    Mas tudo bem, achei bem atenCioso da sua parte mostrar esse tipo de preocupação ^^

    (Começo a desconfiar que o anônimo foi alfabetizado com a SaSha.)

    BeijO

  31. Anônima Says:

    Odeio que mexam no que escrevo!
    Vai ver se tô na esquina, Oculta.
    Esse acréscimo que vc fez a minha lista é um lixo. Entendeu? L-I-X-O.

    A Cafa Mulher pode e muitas vezes deve falar “eu te amo”. Porque facilita pra caramba a caçada. No dia seguinte, é só não atender o celular ou mandar o Email Fatal. Conhece?

    Oculta, não é porque tou na TPM, mas olha, você é uma Vaca Metida.

  32. Anônimo Says:

    Gosto cada vez mais da Cafa Mulher.
    Se Cafa com Cafa combinasse, juro que te punha na lista, Cafa Mulher.
    Você tem senso de humor, e gosto disso.
    Um beijo em seu piercing no lábio esquerdo, ou seria direito?

  33. Gabriela Says:

    Eu tenho que comentar. Senhor Anônimo, o que acontece? Umas coisas não batem nos seus comentários e post. O seu português não bate com o que você diz.
    Maltratado com U, Injustamente com Z, Mesmo com Z, Xingar com CH, Percebo com S.
    Graças a Deus, existe corretor no Word, porque o que seria de sua monografia da FGV caso não houvesse.

  34. Anônimo Says:

    Matemática: 10.
    História: 10.
    Tudo 10.
    Português um pouco menos.
    Mas sexo … 11.
    Finalizações maravilhosas.
    Hahaha
    Respondido, Gabriela?

  35. Monique Buzatto Says:

    De onde saiu esse anônimo?
    De uma sala de bate-papo da uol?

    So, so last summer…

    • Fabio Hernandez Says:

      Tenho a sensação de que ele acha — erroneamente — que vai encontrar “presas” aqui com aquela autopropaganda sexual tosca, sem limites e mal escrita …

  36. Dinho Pain Says:

    Quem nunca foi vitima de uma cafa mulher?
    Acredite. Não que eu tenha sido uma vitima assim. Mas aconteceu. No inicio, eu acredito, era amor. Mas depois de uma besteira que eu fiz, ciúmes, nos separamos e quando voltamos ela estava diferente. Enfim, sofri duas vezes por um erro meu.

    Por isso hoje sou um cafa homem. Mas diferente de R, acho que encontrei alguém que pode me fazer feliz. Vou esperar um tempo, analisar a situação. Se der certo. Adeus Dinho Cafa. =]

    Se não der volto pior que antes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: