Uma pressão desesperada nos dedos



E então leio uma notícia no jornal. Um seriado de tevê em que um dos personagens principais é um jornalista que se matou. Lembro dele. Ou melhor, me lembro do nome, lido em artigos e expedientes de revista. Ele se atirou, se não me engano. Recordo também as palavras bonitas e comovedoras pronunciadas sobre ele quando morreu. Era tido como um estilista. Me vem à cabeça um ensaio de Montaigne, que outro dia reli no fragor de um momento de tristeza. “A morte mais bela é a voluntária”, escreveu Montaigne. E eu que tinha aberto Montaigne em busca de luz e calor. Lol. Montaigne citou os vários sábios que se mataram. Um deles era Zenon, fundador da escola estóica, uma influência tão grande em Montaigne. Resigna-te e suporta, este o inspirador lema dos estóicos. Zenon, segundo relatos, disse uma frase enigmática. “Aqui me tens”. E se enforcou.
Uma das aberturas mais lindas de artigo que vi na minha vida dizia respeito a um suicídio. Era uma capa da New York, e tratava da morte de um mulher da sociedade. Começava mais ou menos assim: ela era linda, jovem, brilhante, bem sucedida, amada, vigorosa. Tinha enfim todos os atributos que deveriam impedir alguém de se atirar da janela de um arranha-céu mas nunca impedem.
Um suicídio perto de nós nos assombra a vida inteira como um pesadelo intermitente. Ele não está com você o tempo todo, mas reaparece em certos momentos. Marco. O Marcão. Tanto tempo atrás. O Marcão. Ele era jovem, bonito, rico, inteligente, amado pelas mulheres e admirado pelos amigos, entre um quais um candidato a escritor. Cabelo ruivo, pele sardenta, olhos claros e tristonhos. O Marcão. Tinha todas as qualidades que deveriam evitar que alguém apontasse o revólver contra a própria boca e fizesse uma pressão desesperada com o dedo no gatilho, mas … mas … sei lá, tudo aquilo no Marcão foi insuficiente para deter seu dedo. O Marcão. Como ele teria envelhecido? Que marcas teriam feito a ele a longa caminhada nessa terra de beleza miserável? Penso agora. A imagem que se congelou no tempo do Marcão é tão bonita que … sei lá o quê.
Um suicídio perto de nós e de nossos afetos é um pesadelo intermitente em nossa vida. Não aparece todo dia, mas jamais some por completo. Tinha que ser acompanhado por uma música este meu texto. Tão triste e tão linda. All The Youg Dudes, David Bowie. Todos os chapas, amigos. Carregam a notícia da morte por suicídio de um amigo. Este mais ou menos o sentido da letra. All The Young Dudes. Sinto falta dos meus young dudes. Sei lá. Me ocorre. Que. Se o cara antes de se jogar no ar ou de apertar o gatilho pensasse nisso, na dor de intermitência eterna que provoca nos que o amam, talvez menos gente se matasse. Mas sei lá. Não gostaria que isso soasse como uma censura póstuma ao Marcão. E então volto a Bob Marley e ao post anterior. Tudo vai dar certo. Não se preocupe com nada.

7 Respostas to “Uma pressão desesperada nos dedos”

  1. rachel Says:

    querido! não se mate. mergulhe na água do mar no reveillon e tira a urucubaca.
    mas que é poético, isso é!!!

    bjbj

  2. rachel Says:

    querido! não se mate. mergulhe na água do mar no reveillon e tira a urucubaca.
    mas que é poético, isso é!!!

    bjbj

  3. carinhosa Says:

    Puxa nosso almoço deve ter sido ruim mesmo…olha, seja feliz, ou quase. Sem mim foi e será sempre mais fácil, porque eu sou das que acredito.E você, você é homem de pouca fé.

  4. PequenAprendiz Says:

    Me parece que os suicidas não pensam no próximo. Isso soa um tanto que egoísta, mas eles só querem acabar e apagar a sua dor naquele momento, de uma forma eterna.
    Disponibilizei novamente o video do Bob M. e Gilberto G.
    Tamt! Bx!

  5. PequenAprendiz Says:

    Me parece que os suicidas não pensam no próximo. Isso soa um tanto que egoísta, mas eles só querem acabar e apagar a sua dor naquele momento, de uma forma eterna.
    Disponibilizei novamente o video do Bob M. e Gilberto G.
    Tamt! Bx!

  6. Anónimo Says:

    acontece,que quem comete suicidio,quer exatamente isso.atingir aos proximos.parece com um ato de coragem,mas é na verdade um grande egoismo

  7. Araceli Says:

    Prefiro qdo vc cita Renato Russo e Legião Urbana.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: