Historia Incompleta


Não, nós não tivemos um final como merecíamos. Explodimos tudo, a começar por nós mesmos. Achei que era impossível vivermos um sem o outro – e, no entanto, vivemos. Releio o que escrevi para você. Sobrou parte, porque quase tudo que escrevi e recebi de você destruí num mau momento. Você foi tão importante para mim quanto a espuma é para a beleza dos mares e a noite para o fulgor das estrelas. E, no entanto, jamais meus olhos haverão de contemplá-la outra vez. A dor da ruptura foi insuportável num primeiro momento. Depois cedeu. Transformou-se numa indiferença que me incomoda. As dores de amor perdido jamais deveriam se extinguir, mas o vento as arrebata como a uma chama trêmula. No grande amor que se desfaz, pior que a dor sentida é a dor extinta.

Nem sei por que escrevo a você. Talvez porque vi hoje uma mulher que me lembrou você nos dias em que éramos reis. Você era uma rainha e fingia sublimemente ser minha súdita e obedecer a todos os meus caprichos. Lembro de você a palavra incisiva. A audácia de quem acha que tudo é permitido. O humor muitas vezes corrosivo.

E uma sede de viver e de amar e de brigar que, vista agora, quase me comove. O sexo em você era tão natural como respirar, andar, conversar. Isso me intimidou e me fascinou a um só tempo. Jamais encontrei outra fêmea como você e, para ser sincero, não lamento. O preço do sexo espetacular é um desassossego igualmente espetacular, e penso que não é razoável pagá-lo mais de uma vez na vida. Talvez duas, não mais. Há um tempo para gozar e há um tempo para se recompor do tumulto do gozo.

Você guardou as coisas que escrevi para você? Durante um tempo, imaginei que algumas daquelas coisas fariam você sorrir bem mais para a frente. Quando já fosse avó e talvez nem se lembrasse das paixões que despertara na juventude. Minhas palavras seriam uma ponte rumo a dias frenéticos, ensolarados, que a gente tolamente imaginou que perdurariam, mas que se foram sem retorno, cruelmente fugazes.

Escrevi sobre aquela noite na praia de Salvador. Você deitada na areia, o vestido amarelo já sem representar obstáculo, o barulho do mar e de nós mesmos na imensidão da areia. Traí você e fui traído por você. Mas sobretudo traímos nós próprios. Não reclamo. O grande amor exige algum tipo de traição. Não sei por que estou escrevendo a você. Ou sei? Especulo comigo mesmo que talvez tenha faltado alguma coisa. Fizemos tudo e desfizemos tudo. Parecia uma história completa. Começo, meio, fim. Mas algo faltou. Eu gostaria de dizer simplesmente obrigado por tantas coisas boas e de certa forma também pelas não tão boas. Desfrutei as primeiras e aprendi com as segundas. Mas é tão tolo, não é?, esse tipo de agradecimento. Tão bobo que me recuso a admitir gratidão para sempre a quem quer que seja, os deuses, o diabo, você mesma, por um dia tê-la colocado em minha vida.

19 Respostas to “Historia Incompleta”

  1. Anónimo Says:

    título perfeito.

  2. Anónimo Says:

    título perfeito.

  3. Araceli Says:

    O texto é. Perfeito.

  4. ALE Says:

    Olá Fábio! A sua sinceridade e o sentimento explícito nas palavras comove! E me remete para o meu passado, para fazer as mesmas perguntas… O sentimento de gratidão pelas coisas vividas, no fundo é uma máscara pra dizer que sentimos saudade, pois tudo passa como um filme em nossa memória… e como… como queríamos reviver esse filme…
    Abraços… Virei sua fã hehehe Agora não perco nenhum post! Ótima semana! bjos

  5. Thiago Tavares Says:

    Cara, que texto maravilhoso é este?
    Seo blog é muito bom, parabens.
    Gostei e ja virei fã

  6. lice Says:

    Que lindo, que delicia as memorias que suas palavras ffazem abrirmos uma caixinha, talvez a caixinha de Pandora que esta tao bem guardada, nao sei se dentro do coração ou bem no amâgo da alma, lindo muito lindo, obrigada por você ter escrito isso e saber que todos nós tivemos momentos como esses que talvez por medo de relelmbrar e sebtirmos uma dor novamente ao tocar uma cicatriz que pode nos fazer sentir uma dor lacinante de novo como a dor que sentimos ao perder algo que foi tão maravilhoso em nossas vidas , mas sabe o que?
    O bom, o maravilhoso é que nao sei se graças aos deuses ou ao diabo como vc diz, nos pudemos viver isso, e Valeu, Valeu e vale a dor que deixou, ë a cicatriz dos que foram amados intenssamente profundamente e infinamente.
    Parabens mesmo com as lagrimas correndo initerruptamente pelas lembranças maravilhosas que nao parão de cair dos meus olhos eu te desejo muitos parabens.
    Alice

  7. Rogério Says:

    Belo texto.No meu modo de ver acho que retrata exatamente o que nós sentimos em uma relação desfeita.
    Sucesso para você.

  8. Anónimo Says:

    Que texto maravilhoso!!! Muitos(as) passam por isso sem sequer ter a grandiosidade de admitir esses sentimentos. Mesmo dos maus momentos precisamos extrair coisas boas. Adorei mesmo!!!

  9. Julia Says:

    Adoraria fazer um comentário tão espetacular quando teu texto. Estou sem palavras, suas digressões aqui estão além do alcance das minhas palavras…
    bjs

  10. Flávia Says:

    (Suspiros)
    (Suspiros)
    (Suspiros)
    Depois do que li é só o que consigo escrever.

  11. Flávia Says:

    (Suspiros)
    (Suspiros)
    (Suspiros)
    Depois do que li é só o que consigo escrever.

  12. MARCIO LAZZATI Says:

    VOCÊ NÃO É FABIO HERNANDEZ!!! VOCÊ NEM AO MENOS ESCREVE ALGO NOVO… COPIA TUDO QUE FABIO ESCREVEU NAS DEDIÇÕES DA REVISTA VIP.
    ACHO QUE VOCÊ PELO MENOS DEVERIA MUDAR O NOME DO BLOG E ASSINAR COM OUTRO NOME!

    MARCIO LAZZATI

  13. CARLOS Says:

    O texto é muito bom as palavras chegam ao mais intimo lugar do coração, mas acredito que elas desejam transmitir algo mais que somente uma indiferença ou lembrança dos bons momentos vividos. Assim como vc tambem penso que sinto somente uma indiferença, lembro dos bons momentos e dos ruis tambem..mas e agora qual é o real sentimento do..HOJE… ou será que só o fato de estarmos falando desses sentimentos significa que não queremos que eles virem uma realmente…. INDIFERENÇA….

  14. Anónimo Says:

    vc nao tem vergonha nao de se expor desse jeito?acho q vc deve usar as palavras apenas pra impressionar o leitor ou gostaria de sentir isso…

  15. Lylla Says:

    Como diz uma composiçao musical do Leoni e do Frejat (50 receitas), “o que me da raiva, nao e o que voce fez de errado, nem seus muitos defeitos, nem voce ter me deixado,nem seu jeito futil de falar da vida alheia, nem o que eu nao vivi acorrentado em sua teia, o que me da raiva sao as flores e os dias de sol, sao os seus beijos e que eu tinha sonhado pra nos, sao os seus olhos e maos e seu abraço protetor e o que vai me faltar o que fazer do meu amor”, essa a pergunta que fica: o que fazer daqueles lindos momentos vividos a dois… muito bom o seu blog. Parabens

  16. Anónimo Says:

    O texto é maravilhoso e felizmente ou infelizmente descreve um momento na minha vida, quando diz que explodimos tudo a começar por nós mesmos,se esse texto realmente for sincero.execelente.

  17. I Says:

    Ensina como lidar tão bem com o fim de um relacionamento tão especial…

  18. luciano Says:

    Só lhe peço uma coisa: não pare de escrever!

  19. luciano Says:

    Só lhe peço uma coisa: não pare de escrever!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: